sexta-feira, 26 de abril de 2013

Psicopatas


Os psicopatas possuem uma visão narcisista e supervalorizada de seus valores e importância. Eles se vêem como o centro do universo e tudo deve girar em torno de...les. Pensam e se descrevem como pessoas superiores aos outros, e essa superioridade é tão grande que lhes dá o direito de viverem de acordo com suas próprias regras. Para os psicopatas, matar, roubar, estuprar, fraudar etc. não é nada grave. Embora eles saibam que estão violando os direitos básicos dos outros, por escolha, reconhecem somente as suas próprias regras e leis. Além disso, são extremamente hábeis em culpar as outras pessoas por seus atos, eximindo-se de qualquer responsabilidade. Para eles, a culpa sempre é dos outros. Esse egocentrismo e essa megalomania, muitas vezes, fazem com que eles sejam vistos como arrogantes, metidos e autoconfiantes. Têm mania de grandeza, fascínio pelo poder e pelo controle sobre os outros. Os psicopatas não sentem qualquer embaraço sobre dívidas contraídas, pendências financeiras ou mesmo problemas de ordem legal ou pessoal (brigas, espancamento de namoradas). De forma indiferente, eles encaram todos os problemas que estejam vivenciando apenas como transitórios, falta de sorte, infidelidade de amigos ou que são derivados de um sistema econômico e social injusto coordenado por pessoas incompetentes. Devido ao seu egocentrismo e sua megalomania, os psicopatas demonstram notável falta de interesse por uma educação direcionada a uma carreira ou qualificação específicas. Isso porque julgam possuírem habilidades diversas e excepcionais que permitirão que eles se tornem o que quiserem ser na vida. Os psicopatas empreendedores sempre pensam grande e costumam arriscar alto, mas toda vez que isso ocorre, pode ter certeza de que o dinheiro arriscado é de outra pessoa, ou melhor, de mais uma de suas vítimas. Dra. Ana Beatriz Barbosa Silva

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Mensagem do dia...


Quinta-feira, 25 de Abril, 2013 VERSÍCULO: Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro?O meu socorro vem do SENHOR, que fez o céu e a terra. -- Salmos 121:1-2 PENSAMENTO: Já que Deus falou e trouxe à existência o universo, e já que Ele conhece nossos nomes e o número de cabelos nas nossas cabeças... com certeza nós sabemos que podemos chegar a Ele para nos ajudar. Levantemos nossos olhos e nossos corações ao El Shadai, Senhor Deus das Montanhas, e saber que o Todo Poderoso vê as nossas necessidades, ouve as nossas petições e se preocupa com nossos corações. ORAÇÃO: Santo e Todo-Poderoso Aba Pai, anseio receber a Sua ajuda. O Senhor é a única fonte verdadeira de redenção, poder, conforto, encorajamento, esperança e excelência na minha vida. Por favor, dê-me a sabedoria para saber qual é a Sua vontade e escolher a Sua vontade para a minha vida. Obrigado por ser fiel ao seu povo através dos séculos e ao longo da minha vida. No nome de Jesus. Amém. || Veja a imagem especial em 1200 x 800: http://www.iluminalma.com/img/il_salmo121_1-2.html

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Mensagem do dia...


Quarta-feira, 24 de Abril, 2013 VERSÍCULO: Os lábios do justo apascentam a muitos, mas, por falta de senso, morrem os tolos. -- Provérbios 10:21 PENSAMENTO: Tenho vários amigos que são muito sábios na maneira que falam. Quando falam, todos ouvem atentamente, porque suas palavras são sábias, oportunas e valiosas. Suas vidas retas, e o uso cuidadoso de palavras, abençoam e nutrem todos os que os ouvem. Há outros, no entanto, que falam constantemente sobre tudo, gastando pouco tempo, ou tempo nenhum, praticando o que pregam. Suas palavras são consideradas como nada mais do que seu próprio desejo de ouvir suas próprias opiniões a respeito de questões sobre as quais não têm conhecimento. ORAÇÃO: Santo e sábio Deus, por favor, dê-me a sabedoria e domínio próprio para manter a minha boca fechada, a não ser que o que digo possa ser benéfico para os ouvintes. Ajude minhas palavras a serem encorajadoras e verdadeiras. No nome de Jesus eu oro. Amém. || Veja a imagem especial: http://www.iluminalma.com/img/il_proverbios10_21.html

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Para Refletir...


Quem tem medo da tsunami? David Zee ? oceanógrafo Um dos principais ingredientes do medo é o desconhecido. Entender o que são as tsunamis significa reconhecer o seu verdadeiro perigo. A palavra tsunami é de origem japonesa e designa ondas oceânicas de grande altura. Elas têm sua origem em maremotos, erupções vulcânicas e movimentos das placas do fundo submarino. Uma boa definição para a tsunami seria uma onda sísmica que se propaga no oceano. As tsunamis, ao se propagarem no oceano, possuem comprimentos da ordem de 150 a 200 quilômetros de extensão e apenas um metro de altura, mas, ao se aproximarem de zonas costeiras mais rasas, a onda pode atingir até 30 metros de altura, em função de sua energia e da distância do epicentro da tsunami. No caso em foco, o perigo de um acidente catastrófico é tanto maior quanto maior for a explosão vulcânica (caso ocorra) nas ilhas Canárias, local onde está sendo detectada alguma atividade vulcânica no subsolo. Uma analogia a esse processo seria uma panela de pressão que tem a sua válvula reguladora obstruída enquanto aumenta o calor interno gerado pelo fogo. A pressão interna vai aumentando proporcionalmente ao acumulo de energia potencial. Esse processo tem continuidade até que ocorra uma ruptura em algum ponto da estrutura da panela, redundando em uma explosão, ou seja, na liberação instantânea de grande quantidade de energia. No caso das ilhas Canárias, foi observado um aumento da atividade sísmica?vulcânica em seu interior. Assim, quanto mais sinais ela der de atividade vulcânica no seu interior, maior será o risco de haver uma erupção vulcânica de grandes proporções. Outro fator a ser considerado é a distancia do litoral brasileiro, especificamente dos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Maranhão, Piauí, Pará e Amapá, em relação às ilhas Canárias. São aproximadamente 4.500 quilômetros de distancia. A velocidade das ondas tsunami é em media de 600 quilômetros por hora o que equivaleria a oito horas de percurso até chegar ao litoral brasileiro. O medo é gerado pela ignorância, o respeito é gerado pelo conhecimento. Figura 1 Extraída da Internet Janeiro de 2005 Figura 2 Editoria de arte ? Jornal O Tempo Fontes: Ana Elizabeth Diniz (Especial para o Jornal O Tempo)

terça-feira, 16 de abril de 2013

Ataque Coreano

ESCRITO POR JEFFREY NYQUIST | 10 ABRIL 2013 INTERNACIONAL - ESTADOS UNIDOS Os oficiais do governo americano parecem apreciar o atual estado mental de Kim. Eles estudaram o comunicado da RDPC e sabem que estão lidando com uma personalidade delirante. Um ano atrás, neste mesmo mês, a República Democrática Popular da Coreia (RDPC) — Coreia do Norte — prometeu “reduzir todos os grupos ratuínos (da Coreia do Sul)… a pó em três ou quatro minutos … por meios e métodos peculiares e sem precedentes…”. Em resposta, os oficiais da Coreia do Sul insistiram para que a RDPC “parasse imediatamente” com as declarações ameaçadoras. Tais ameaças, eles disseram, servem apenas para aumentar as tensões. Mas, obviamente, esse é o jogo dos coreanos do norte. As ameaças levadas a cabo pela RDPC tiveram como fim aumentar as tensões para que eles recebessem pagamento em troca de um acordo para amenizar o ambiente de tensão logo em seguida. É um sistema simples de extorsão que já foi efetivo. Entretanto, agora as partes ameaçadas não estão respondendo com dinheiro. Em vez disso, elas estão respondendo com suas próprias manobras militares. Essa súbita mudança da conciliação para a exasperação deu início a uma crise. Na última quinta-feira, a RDPC emitiu um comunicado oficial culpando os “imperialistas dos EUA” por violarem a soberania da RDPC. Por conta da escalada da gravidade da situação, o líder Kim Jong Un, “o brilhante comandante do Monte Paektu, convocou com urgência uma reunião operacional para tratar da performance das (…) Forças Balísticas Estratégicas do Exército do Povo Coreano (…) para ratificar um plano de ataque com forças militares”. O líder Kim declarou abertamente “uma batalha de vida ou morte (…) para pôr fim ao confronto de longa data que eles vêm travando com os EUA e dar início a uma nova era”. A decisão, evidentemente, refletiu “a força de vontade do exército e do povo da RDPC para aniquilar o inimigo”. Segundo a declaração, os militares norte-coreanos estão “cada vez mais irritados” com as várias provocações imprudentes dos imperialistas – as quais incluem: voos militares com aeronaves B-52 no espaço aéreo da Coreia do Sul; treinamentos em que bombardeiros – como os B-2A stealth (invisíveis a radares) – e outras aeronaves de ataque fizeram um voo da América continental até o sul da península coreana, simulando uma situação de bombardeio. “Essa é uma odiosa e imperdoável provocação; uma franca provocação”, diz o comunicado oficial dos norte-coreanos. “Tirando vantagem da imprudente campanha americana em prol de um ataque nuclear contra a RDPC, os fantoches sul-coreanos clamaram por um ‘ataque preventivo’ e por uma ‘forte resposta’ [...] ameaçando abertamente destruir os monumentos simbólicos da dignidade e da suprema liderança da RDPC”. Após ter se apresentado de modo a parecer um arremedo paranoico de si mesmo – e projetando de modo condensado suas próprias intenções hostis – o governo de Pyongyang acusou os Estados Unidos de “criminosa ambição agressiva” e também acusou os “fantoches” sul-coreanos de tentar invadir a RDPC. Consequentemente, “as ameaças deles (sul-coreanos) já saíram da fase de ameaças e chantagens e entraram na temerária fase de uma guerra real”. Portanto, foi certo e justo, segundo o comunicado da RDPC, “que o Comando Supremo do Exército do Povo Coreano tenha decidido a acertar as contas com os imperialistas americanos e com os fantoches sul-coreanos por meio da política de “Prioridade Bélica” (So’ngun), pois chega um momento em que a fase de conversações acaba.” Há de se admitir que a declaração da RDPC não soa como uma chantagem. Soa mais como uma declaração de alguém que engoliu a vida inteira propagandas distorcidas dos Estados Unidos e dos “fantoches sul-coreanos”. Na verdade, a declaração da RDPC vem de um líder delirante que é tão insano (pelos padrões mundo afora) que os observadores inteligentes estão meneando a cabeça. Mesmo porque, qual país em toda história do mundo soltou uma declaração com esse teor? Considere o seguinte trecho do comunicado norte-coreano: “É a resoluta resposta e firme posição da RDPC em contra-atacar a chantagem nuclear dos imperialistas norte-americanos com um impiedoso ataque nuclear e [...] guerra total. Eles deveriam saber claramente que na era do líder Kim Jong Un, o maior de todos os comandantes, que todas as coisas são diferentes daquilo que costumava ser no passado. As forças hostis perceberão por meio da vontade de ferro, incomparável bravura e extraordinária impetuosidade do brilhante comandante do Monte Paektu, que a terra não pode existir sem a Coréia da “Prioridade Bélica” (So’ngun). Chegou a hora de começarmos a batalha final de vida ou morte.” Deve ser salientado que os gênios militares não emitem declarações oficiais em que se descrevem como gênios militares dotados de “incomparável bravura e extraordinária impetuosidade”. Fazer uma declaração desse tipo, quando nunca se lutou numa guerra, é anunciar a própria ignorância e um amor-próprio excessivo. Isto é, de fato, a confissão de um palhaço com o dedo no botão que dispara a arma nuclear. Especialistas dos EUA não estão alarmados, é claro. Eles estão calmos, acreditando que a RDPC não fará nada para ferir seu próprio “interesse pessoal”. Infelizmente, o interesse pessoal está nos olhos de quem vê. A respeito disso, deve-se considerar o interesse pessoal de um palhaço que sequer sabe que é um palhaço. Pior ainda, esse palhaço está cercado de lacaios incapazes de avisá-lo do seu comportamento. Pois de que outra forma podemos explicar a declaração da RDPC, que continua assim “é auto-evidente que qualquer conflito militar na península coreana está fadado a desencadear uma guerra total, uma guerra nuclear (…). O primeiro ataque das forças revolucionárias armadas da RDPC explodirão as bases americanas continentais e as do Pacífico — incluindo Havaí e Guam —; além disso, reduzirá a pó não apenas suas bases na Coreia do Sul, mas também as instituições governantes dos fantoches (os sul-coreanos)…” Projeção psicológica não é apenas um mito acadêmico. É um mal mental muito real — o mesmo mal que levou Hitler a culpar os judeus pelo começo da Segunda Guerra Mundial. No mesmo sentido, Kim Jong Un culpa os Estados Unidos pela Terceira Guerra Mundial. Ele acredita que os Estados Unidos é um “agressor imperialista”. Portanto, no presente contexto, ele não está blefando. Ele está nos dizendo o que de fato pensa. Os oficiais do governo americano parecem apreciar o atual estado mental de Kim. Eles estudaram o comunicado da RDPC e sabem que estão lidando com uma personalidade delirante. O foco da política americana agora consiste em reagir lenta e calmamente à situação coreana. Especificamente dizendo, os EUA estão evitando declarações severas e demonstrações militares óbvias. Isso não deve ser levado erroneamente como um apaziguamento. É, com efeito, uma política mais cuidadosa para que se possa evitar conflitos desnecessários no momento em que as tensões estão no limite. Na sua melhor tradição de pacificação, significa não voltar à política de mandar mais dinheiro ao regime falido de Pyongyang. E, sim, a situação é perigosa precisamente porque a RDPC é um estado falido que possui armas nucleares. Seu líder é um megalomaníaco cercado de lacaios que comandam uma população que vive às mínguas de alimentos e uma economia desesperadamente precária. Dada esta situação, tudo que você precisa é um incidente que seja a gota d’água que transborda o copo. Tudo que você precisa é um combate na Zona Desmilitarizada. Uma dentre milhares de coisas pode dar errado e isso bastaria para que entrássemos em uma guerra nuclear. Na verdade, a guerra nem sempre é produto de cálculos cuidadosos. É, na maioria das vezes, resultado de acidentes, erros de cálculos ou de percepção. Se um dos principais dirigentes está iludido, louco ou é estúpido, há uma boa chance que ele comece uma guerra. Assim, não devemos ser desdenhosos do perigo. Publicado no Financial Sense .http://www.midiasemmascara.org/artigos/internacional/estados-unidos/14028-a-coreia-do-norte-atacara.html

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Refletindo...


Sexta-feira, 12 de Abril, 2013 VERSÍCULO: Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. Tudo posso naquele que me fortalece. -- Filipenses 4:12-13 PENSAMENTO: A vida é cheia de altos e baixos. Muitas coisas que consideramos preciosas podem ser tocadas pela morte, desastre e deterioração. O que temos que é certo? Em quem podemos ter segurança? Aonde achamos o poder para viver vitoriosamente em tempos bons e difíceis? No Senhor que nos dá força! ORAÇÃO: Ó Senhor Deus, Pai de toda criação, confesso que minha vida e as circunstâncias nas quais tento viver estão além da minha habilidade de controlar. Agradeço-lhe por estar presente para me confortar, proteger, guiar e dar poder para encarar cada situação com confiança e segurança. Pelo fato de o Senhor estar comigo, ó Pastor amoroso, sei que terei tudo que preciso para viver vitoriosamente para o Senhor, até o dia em que vou compartilhar da sua glória junto ao Senhor. || Veja a imagem especial: http://www.iluminalma.com/img/il_filipenses4_12.html http://www.iluminalma.com/dph/4/0412.html

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Atenção...

Coreia do Norte: Mísseis prontos para disparar, o planeta inteiro será contaminado – «Coreia do Norte aproxima-se de linha perigosa» – Chuck Hagel by Fim dos Tempos.Net • 10 abril, 2013 O representante diplomático do regime comunista da Coreia do Norte Alejandro Cao de Benós disse que as bases de mísseis do país estão prontas para disparar. “Podemos derrubar qualquer alvo, pusemos em órbita três satélites e capacidade tecnológica não falta”, afirmou. Cao de Benós, de origem espanhola e único cidadão estrangeiro a quem foi concedida a cidadania norte-coreana já que decidiu combater por Pyongyang, deu essas declarações ao jornal italiano Oggi, cujo site publica nesta quarta-feira. O espanhol, que adotou o nome Alejandro-Zu, ameaça: “quando o sinal for dado abateremos todos os aviões B2 e B52 e arrasaremos as bases americanas de Guam, do Havaí e do Missouri”. “As consequências serão terríveis: o planeta inteiro será contaminado e Seul afundará no mar. A bomba é nossa segurança na vida. Se for necessário, não hesitaremos em usá-la”. O representante é membro do Partido do Trabalho e do Exército Popular, além de delegado especial do comitê governamental da Coreia do Norte para relações culturais com os países estrangeiros. Benós diz não ser o único que combate a favor de Kim Jong-un, a Brigada Internacional que está organizando já conta com 200 adesões desde 11 de março, poucos dias após a Coreia do Norte anunciar o fim do acordo de armistício e a promessa de não agressão vigente desde 1953. Nas últimas semanas, a tensão aumentou até o ponto que Pyongyang se declarou em estado de guerra contra o sul, ameaçando com a “guerra total” contra seus vizinhos e os Estados Unidos. Fonte: Terra noticias

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Guerra Nuclear

A tensão militar na península coreana vai se agravar nos próximos dias, mas não deve causar um conflito armado, segundo especialistas entrevistados pelo R7. No entanto, eles alertam que uma guerra na região nunca esteve tão próxima. E caso isso aconteça, são grandes as chances de que as temidas bombas atômicas voltem a cair. “A região é um barril de pólvora”, afirma o especialista em Ásia Argemiro Procópio, professor de relações internacionais da Universidade de Brasília. — A Coreia do Norte está em uma região que é a mais armada com bomba atômica do mundo. Além da Coreia do Norte, outros quatro países próximos possuem armamento nuclear: China, Rússia, Índia e Paquistão. O barril fica ainda mais cheio com o arsenal atômico dos Estados Unidos, que se mostram dispostos a defender a todo custo aliados como Japão e Coreia do Sul. Governo norte-coreano investe em armas e propaganda enquanto população sofre com a miséria Coreia do Norte recebe autorização para ataque nuclear Os especialistas em segurança internacional não acreditam que uma guerra real venha a eclodir, já que as ameaças do ditador norte-coreano Kim Jong-un são um recurso corriqueiro na política externa do país: o regime fala muito, mas não faz nada. Foi assim durante os 17 anos de governo de Kim Jong-il (1994-2011), pai do atual líder. No entanto, as ameaças dessa vez trazem dois ingredientes novos — e perigosos: não há muitas informações sobre o jovem Kim Jong-un, que tem menos de 30 anos e vem enfrentando problemas desde a morte de seu pai para se firmar no poder e conquistar a elite política e militar do país. Além disso, a Coreia do Norte rasgou no final de semana seus acordos de não agressão com o vizinho do Sul — algo que não ocorreu em 60 anos de cessar-fogo. EUA: perigo de guerra com a Coreia do Norte é real Norte-coreanos saem às ruas em apoio à guerra “A Coreia do Norte sempre ameaça, mas acaba não concretizando [as ameaças]. A novidade agora é que ninguém conhece Kim Jong-un enquanto líder, então existe um risco a mais”, afirma Bernardo Wahl Gonçalves de Araújo Jorge, professor de Relações Internacionais da FAAP. — Por causa dessas incertezas, a possibilidade de conflito é um pouco maior. Além do barulho, o jogo de ameaças de Jong-un deixa claro uma certeza: as armas nucleares estão sobre a mesa. É o que avaliam os analistas em segurança internacional Keir A. Lieber e Daryl G. Press, em artigo publicado na revista especializada Foreign Affairs. — A atual crise aumentou substancialmente o risco de um conflito convencional, e qualquer guerra tradicional com a Coreia do Norte corre o risco de se tornar nuclear. Considerando o nível de tensão a que a península chegou, “é provável que uma falha de comunicação, um disparo, ou outro acontecimento, leve a um conflito”, afirma Araújo Jorge. — E um conflito convencional pode causar uma escalada que leve a um conflito nuclear. Embora esse risco seja remoto, ele deve ser levado em consideração. Em razão disso, Lieber e Press alertam que, apesar de o objetivo dos EUA seja impedir a guerra, “é igualmente importante tomar medidas para diminuir os riscos de uma escalada nuclear, no caso uma guerra real acontecer”.