segunda-feira, 31 de maio de 2010

Pequena Felicidade

Houve um tempo em que minha janela se abria sobre uma cidade que parecia ser feita de giz. Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.

Era uma época de estiagem, de terra esfarelada, e o jardim parecia morto. Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas. Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse. E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.

Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor. Outras vezes encontro nuvens espessas. Avisto crianças que vão para a escola. Pardais que pulam pelo muro. Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais. Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar. Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega. Às vezes, um galo canta. Às vezes um avião passa. Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino. E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas, que estão diante de cada janela, uns dizem que as coisas não existem, outros que só existem diante das minhas janelas, e outros, finalmente, que é preciso aprender a olhar, para vê-las assim.

Autor desconhecido

Tudo passa

Tudo Passa
Havia um rei muito poderoso que tinha tudo na vida, mas sentia-se confuso. Resolveu consultar os sábios do reino e disse-lhes:

- Não sei por que me sinto estranho e preciso ter paz de espírito. Preciso de algo que me faça alegre quando estiver triste e que me faça triste quando estiver alegre.

Os sábios resolveram dar um anel ao rei, desde que o rei seguisse certas condições:

Debaixo do anel existe uma mensagem, mas o rei só deverá abrir o anel quando ele estiver num momento intolerável. Se abrir só por curiosidade, a mensagem perderá o seu significado. Quando TUDO estiver perdido, a confusão for total, acontecer a agonia e nada mais puder ser feito, aí o rei deve abrir o anel.

O rei seguiu o conselho. Um dia o país entrou em guerra e perdeu. Houve vários momentos em que a situação ficou terrível, mas o rei não abriu o anel porque ainda não era o fim. O reino estava perdido, mas ainda podia recuperá-lo. Fugiu do reino para se salvar. O inimigo o seguiu, mas o rei cavalgou até que perdeu os companheiros e o cavalo.

Seguiu a pé, sozinho, e os inimigos atrás; era possível ouvir o ruído dos cavalos. mas tinha que continuar a correr. O inimigo se aproxima e o rei, quase desmaiado, chega à beira de um precipício. Os inimigos estão cada vez mais perto e não há saída, mas o rei ainda pensa:

- Estou vivo, talvez o inimigo mude de direção. Ainda não é o momento de ler a mensagem...

Olha o abismo e vê leões lá embaixo, não tem mais jeito. Os inimigos estão muito próximos, e aí o rei abre o anel e lê a mensagem: "Isto também passará". De súbito, o rei relaxa. Isto também passará e, naturalmente, o inimigo mudou de direção. O rei volta e tempo depois reúne seus exércitos e reconquista seu país. Há uma grande festa, o povo dança nas ruas e o rei está felicíssimo, chora de tanta alegria e, de repente, se lembra do anel, abre-o e lê a mensagem: "Isto também passará". Novamente ele relaxa, e assim obtém a sabedoria e a paz de espírito.

Em qualquer situação, boa ou ruim, de prosperidade ou de dificuldades, em que as emoções parecem dominar tudo o que fazemos, é importante que nos lembremos de que tudo é efêmero, de que tudo passará, de que é impossível perpetuarmos os momentos que vivemos, queiramos ou não, sejam eles escolhidos ou não.

A ansiedade, freqüentemente, não nos deixa analisar o que nos ocorre com objetividade. Nem sempre é possível, mesmo. Mas, em muitos momentos, precipitamos atitudes que só pioram o que queríamos que melhorasse, e é na esfera dos relacionamentos amorosos que isso ocorre quase sempre.

A calma, conforme o ditado popular, pode ser o melhor remédio diante daquilo que não depende de nós... Manter as emoções constantemente sob controle é pura fantasia e qualquer um já viveu a sensação de pânico ao perceber que o que mais se valoriza está escapando por entre os dedos.

"Dar tempo ao tempo" não é sintoma de passividade, mas de sabedoria na maior parte dos casos.

Autor desconhecido

Elogio

O Elogio
Poucas coisas motivam mais as pessoas que elogios. As pessoas respondem na justa medida de nossa expectativa a respeito delas. Dizer que elas fizeram um bom trabalho faz com que se esforcem ainda mais para continuar fazendo um bom trabalho.

Quando os elogios são feitos publicamente, seus benefícios multiplicam-se. A pessoa elogiada não só se esforça mais, mas também passa a ter uma reputação positiva. Isso aumenta o valor da pessoa diante dos outros e os motiva a serem como ela.

Certa vez ouvi uma história que mostrava como isso funcionava.

Poucos meses depois de se mudar para uma pequena cidade, uma mulher reclamava a seu vizinho sobre o péssimo serviço que havia recebido de uma mercearia local. Ela sabia que seu vizinho era amigo do proprietário e esperava que ele transmitisse sua queixa.

Na visita seguinte que ela fez a mercearia o proprietário recebeu-a com um largo sorriso e disse o quanto estava feliz em vê-la novamente. Esperava que ela estivesse gostando de sua cidade e, ainda, disse que teria imenso prazer em ajudá-los a se estabelecerem. Atendeu pronta e eficientemente o pedido que ela fez. Mais tarde, a mulher relatou a miraculosa mudança para seu novo amigo.

"Suponho que você tenha dito a ele como achei ruim seu atendimento, não disse?" ela perguntou.

"Bem, não", respondeu o vizinho. "A bem da verdade, espero que não se importe - disse-lhe que você estava surpresa de ele ter conseguido montar numa cidade pequena uma das mercearias mais bem dirigidas que você já havia visto."

Autor desconhecido

Plano de voo

Plano de Vôo

" Boas famílias - até mesmo as melhores - ficam fora da rota 90 por cento do tempo! O segredo é que elas têm um senso de destinação. Conhecem a "trilha". E estão sempre corrigindo o curso, de novo e de novo.

É como o vôo de um avião. Antes da decolagem, os pilotos examinam o plano do vôo. Por isso, sabem exatamente aonde vão e iniciam os procedimentos em conformidade com esse plano.Contudo, durante a viagem, o vento, a chuva, a turbulência, o tráfego aéreo, erros humanos e outros fatores interferem no plano, impulsionando ligeiramente a aeronave em direções diferentes, de modo que na maior parte do tempo o avião fica fora da rota do vôo prescrita!a. Ao longo de toda a jornada ocorrem pequenos desvios em relação ao plano de vôo. Condições climáticas adversas ou um tráfego aéreo especialmente pesado causam desvios maiores. Se não acontecer nada muito grave , porém o avião chegará ao seu destino.

Mas como isso é possível? Durante o vôo, os pilotos recebem constantes feedback. São comunicações dos instrumentos sobre o meio ambiente, informações das torres de controle, de outras aeronaves e as vezes até das estrelas.E, com base nesses feedback, fazem os ajustes necessários para, de tempos em tempos retornar, ao plano de vôo.

A esperança não jaz nos desvios, mas na visão, no plano e na habilidade de corrigir o curso.

O vôo desse avião constitui a metáfora ideal para a vida familiar. Não faz nenhuma diferença se a nossa família saiu da rota ou mesmo está enredada em problemas. A esperança se encontra na visão , no plano e na coragem de continuar corrigindo o curso de novo e de novo".

O segredo é ter uma destinação, um plano de vôo e uma bússola.

Do livro: " Os 7 hábitos das famílias muito eficazes" Autor: Stephen R. Covey Editora: Best Seller

Aprendendo a dizer não

Aprendendo a dizer não

Quando Angela tinha apenas dois ou três anos, seus pais a ensinaram a nunca dizer NÃO. Ela devia concordar com tudo o que eles falassem, pois, do contrário, era uma palmada e cama.

Assim, Angela tornou-se uma criança dócil, obediente, que nunca se zangava. Repartia suas coisas com os outros, era responsável, não brigava, obedecia a todas as regras, e para ela os pais estavam sempre certos.

A maioria dos professores valorizava muito essas qualidades, porém os mais sensíveis se perguntavam como Angela se sentia por dentro.

Ângela cresceu cercada de amigos que gostavam dela por causa de sua meiguice e de sua extrema prestatividade: mesmo que tivesse algum problema, ela nunca se recusava a ajudar os outros.

Aos trinta e três anos, Angela estava casada com um advogado e vivia com sua família numa casa confortável. Tinha dois lindos filhos e, quando alguém lhe perguntava como se sentia, ela sempre respondia: "Está tudo bem."

Mas, numa noite de inverno, perto do Natal, Angela não conseguiu pegar no sono, a cabeça tomada por terríveis pensamentos. De repente, sem saber o motivo, ela se surpreendeu desejando com tal intensidade que sua vida acabasse, que chegou a pedir a Deus que a levasse.

Então ela ouviu, vinda do fundo do seu coração, uma voz serena que, baixinho, disse apenas uma palavra: NÃO.

Naquele momento, Angela soube exatamente o que devia fazer. E eis o que ela passou a dizer àqueles a quem mais amava:

Não, não quero.

Não, não concordo.

Não, faça você.

Não, isso não serve pra mim.

Não, eu quero outra coisa.

Não, isso doeu muito.

Não, estou cansada.

Não, estou ocupada.

Não, prefiro outra coisa.

Sua família sofreu um impacto, seus amigos reagiram com surpresa. Ângela era outra pessoa, notava-se isso nos seus olhos, na sua postura, na forma serena mas afirmativa com que passou a expressar o seu desejo.

Levou tempo para que Angela incorporasse o direito de dizer NÃO à sua vida. Mas a mudança que se operou nela contagiou sua família e seus amigos. O marido, a princípio chocado, foi descobrindo na sua mulher uma pessoa interessante, original, e não uma mera extensão dele mesmo. Os filhos passaram a aprender com a mãe o direito do próprio desejo. E os amigos que de fato amavam Angela, embora muitas vezes desconcertados, se alegraram com a transformação.

À medida que Angela foi se tornando mais capaz de dizer NÃO, as mudanças se ampliaram. Agora ela tem muito mais consciência de si mesma, dos seus sentimentos, talentos, necessidades e objetivos. Trabalha, administra seu próprio dinheiro, e nas eleições escolhe seus candidatos.

Muitas vezes ela fala com seus filhos: "Cada pessoa é diferente das outras e é bom a gente descobrir como cada um é. O importante é dizer o que você quer e ouvir o desejo do outro, dizer a sua opinião e ouvir o que o outro acha. Só assim podemos aprender e crescer. Só assim podemos ser felizes."

Barbara K. Bassett Do livro: Histórias para aquecer o coração 2 Jack Canfield e Mark Victor Hansen Editora Sextante

O zelador da fonte

O zelador da fonte
Conta uma lenda austríaca que em determinado povoado havia um pacato habitante da floresta que foi contratado pelo conselho municipal para cuidar das piscinas que guarneciam a fonte de água da comunidade.

O cavalheiro com silenciosa regularidade, inspecionava as colinas, retirava folhas e galhos secos, limpava o limo que poderia contaminar o fluxo da corrente de água fresca. Ninguém lhe observava as longas horas de caminhada ao redor das colinas, nem o esforço para a retirada de entulhos.

Aos poucos, o povoado começou a atrair turistas. Cisnes graciosos passaram a nadar pela água cristalina. Rodas dágua de várias empresas da região começaram a girar dia e noite. As plantações eram naturalmente irrigadas, a paisagem vista dos restaurantes era de uma beleza extraordinária.

Os anos foram passando. Certo dia, o conselho da cidade se reuniu, como fazia semestralmente. Um dos membros do conselho resolveu inspecionar o orçamento e colocou os olhos no salário pago ao zelador da fonte. De imediato, alertou aos demais e fez um longo discurso a respeito de como aquele velho estava sendo pago há anos, pela cidade.

E para quê? O que é que ele fazia, afinal? Era um estranho guarda da reserva florestal, sem utilidade alguma. Seu discurso a todos convenceu.

O conselho municipal dispensou o trabalho do zelador.

Nas semanas seguintes, nada de novo. Mas no outono, as árvores começaram a perder as folhas. Pequenos galhos caíam nas piscinas formadas pelas nascentes.

Certa tarde, alguém notou uma coloração meio amarelada na fonte. Dois dias depois, a água estava escura. Mais uma semana e uma película de lodo cobria toda a superfície ao longo das margens. Os cisnes emigraram para outras bandas. As rodas dágua começaram a girar lentamente, depois pararam. Os turistas abandonaram o local. A enfermidade chegou ao povoado..

O conselho municipal tornou a se reunir, em sessão extraordinária e reconheceu o erro grosseiro cometido. Imediatamente, tratou de novamente contratar o zelador da fonte.

Algumas semanas depois, as águas do autêntico rio da vida começaram a clarear. As rodas dágua voltaram a funcionar. Voltaram os cisnes e a vida foi retomando seu curso.

Assim como o conselho municipal da pequena cidade, somos muitos de nós que não consideramos determinados servidores. Aqueles que se desdobram todos os dias para que o pão chegue à nossa mesa, o mercado tenha as prateleiras abarrotadas.

Que os corredores do hospital e da escola se mantenham limpos. Há quem limpe as ruas, recolha o lixo, dirija o ônibus, abra os portões da empresa. Servidores anônimos. Quase sempre passamos por eles sem vê-los. Mas, sem seu trabalho o nosso não poderia ser realizado ou a vida seria inviável.

O mundo é uma gigantesca empresa, onde cada um tem uma tarefa específica, mas indispensável. Se alguém não executar o seu papel, o todo perecerá. Dependemos uns dos outros. Para viver, para trabalhar, para sermos felizes!
Autor desconhecido

Crise

A Crise
Não pretendemos que as coisas mudem, se sempre fazemos o mesmo.

A crise é a melhor benção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos.

A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura.

É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias.

Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar ?superado?.

Quem atribui à crise seus fracassos e penúrias, violenta seu próprio talento e respeita mais aos problemas do que as soluções.

A verdadeira crise, é a crise da incompetência.

O inconveniente das pessoas e dos países é a esperança de encontrar as saídas e soluções fáceis. Sem crise não há desafios, sem desafios, a vida é uma rotina, uma lenta agonia.

Sem crise não há mérito.

É na crise que se aflora o melhor de cada um.

Falar de crise é promovê-la, e calar-se sobre ela é exaltar o conformismo.

Em vez disso, trabalhemos duro.

Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la.

Albert Einstein

Quem sabe faz a hora

Quem sabe faz a hora
Ninguém gosta de esperar. Ficar numa fila de banco durante um certo tempo irrita qualquer um. Ter um computador 486 também não dá muito certo porque é lento. É preciso comprar um mais moderno e rápido pois hoje tudo é instantâneo. Também não acho que “a pressa é inimiga da perfeição” pois “quem sabe faz a hora não espera acontecer”.

Se você pensa dessa forma, é sinal que o mundo moderno te satisfaz. Um mundo de caixas automáticos, computadores cada vez mais rápidos, carros muito velozes (pois não se pode perder tempo na estrada). Um mundo no qual “tempo é dinheiro” e dinheiro é sinônimo de felicidade. Não é possível imaginar o mundo sem o desenvolvimento da tecnologia e a rapidez na informação. O problema é o ser humano acreditar que em todas as áreas da vida, tudo tenha que se resolver instantaneamente, como num passe de mágica ou um pressionar da tecla “Enter”.

Esperar um pouco e aguardar o momento certo de agir não é a atitude mais correta para grande parte das pessoas, talvez embaladas pela música de Geraldo Vandré. É bom lembrar que esperar é diferente de querer que tudo caia do céu em suas mãos.

O Presidente da África do Sul, Nelson Mandela, precisou aprender a esperar pois ficou preso 28 anos. Durante esse tempo, Mandela continuou sendo ativista em seu partido e aguardou o momento certo para agir, não se precipitando em aceitar qualquer oferta que os líderes políticos lhe ofereciam, pressionados pelo mundo inteiro. Ele negou muitas vezes seu bem-estar próprio em nome de seu ideal político e pela liberdade do povo (principalmente os negros) de seu país. Seu pulso firme e suas exigências no momento certo, foram fundamentais para o fim do “apartheid” e para a criação de um Estado mais igualitário, de liberdade para todos. Você imagina o que é ficar tanto tempo preso? Anos a fio esperando que alguma coisa aconteça e mude sua sorte ? Só que passado tanto tempo Mandela é presidente e seu país é ainda próspero só que mais igualitário, como ele queria.

Jesus esperou 30 anos para começar seu grandioso ministério na terra. Durante a sua vida ele se preparou para em somente em 3 anos ensinar ao homem o caminho certo, oferecendo-lhe reconciliação com Deus e salvação da alma através do perdão dos pecados.

A Bíblia diz: “Tudo tem seu tempo determinado. Há tempo para tudo debaixo do céu. Há tempo de plantar e de colher. Há tempo de espalhar e tempo de recolher o que se espalhou. Há tempo de amar e aborrecer. Tempo de cair e de levantar …” livro de Eclesiastes capítulo 3 versos 1 a 8. A grande dificuldade é saber a hora de agir e o momento de aguardar. Deus pode te conceder sabedoria para saber o momento certo para tudo. É só você pedir e Ele te dará sabedoria sem medida (como concedeu a Salomão, o homem mais sábio de seu tempo). Ser sábio é também saber que tudo tem seu momento apropriado:

“Se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, ele dará porque é generoso e dá com bondade a todos” Bíblia, livro de Tiago, capítulo 1 verso 5

Com tantos exemplos sobre “esperar”, acredito que pelo menos você vai pensar um pouco mais antes de tomar qualquer atitude ou decisão precipitada

fonte: vidanet

Desembaraçando os fios

Desembaraçando os fios
Havia uma tecelagem onde se fabricavam tecidos muito finos.

Quando em dado momento os fios se embaraçavam, o operador devia tocar uma campainha, para ser atendido por um funcionário especializado, que punha as coisas em ordem novamente. Certa ocasião, entretanto, depois de um rapazinho ter pedido o auxílio do funcionário especializado e recebido assistência, um operário antigo na fábrica achou que ele próprio já sabia o suficiente, e podia passar sem o auxílio especializado.

Então, quando novamente os fios se embaraçaram, ele mesmo tentou arrumar. Seus fios, porém, ficaram terrivelmente emaranhados e o estrago foi muito grande. Quando, enfim, ele chamou o especialista, disse-lhe: “Mas eu fiz o meu melhor!”. O especialista replicou: “O seu melhor é chamar por mim.”

Quantas vezes nós tentamos solucionar os problemas da vida por nós mesmos. Nós achamos que “nós sabemos”. Quanto mais rapidamente eles seriam resolvidos se os levássemos ao Divino Especialista. ‘Fazer o nosso melhor’ é chamar pelo Mestre.

Essa é a mensagem que Deus tem para você. Se você se encontra num beco sem saída, e não sabe o que fazer para resolver seu problema, você não acha que a ocasião é certa para buscar ajuda de um Deus que tudo pode?

Ele não que vê-lo debatendo-se em tensão, angústia, preocupação e desespero. Ele quer vê-lo calmo, tranqüilo, desfrutando da vida que Ele lhe deu, descansando n’Ele, confiante de que Ele pode resolver seu problema, pois para Ele não há impossibilidades. Disse também que a impossibilidade do homem é a oportunidade de Deus. Então por que lutar sozinho?

Experimente buscar a Deus e tenha a certeza. Ele virá em seu socorro:

“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia n’Ele e Ele tudo fará” (Bíblia, livro de Salmos, capítulo 37, verso 4)

Permita que Deus faça por você o que você mesmo não pode fazer, porque Ele nunca desampara os que n’Ele confiam. Isso é o melhor que você pode fazer.

Texto Bíblico Utilizado: Salmos 37:4

Contrato de aluguel

Contrato de Aluguel
Gostaríamos de informar que o contrato de aluguel que acordamos há bilhões de anos atrás, está vencendo. Precisamos renová-lo, porém temos que acertar alguns pontos fundamentais:

Você precisa pagar a conta de energia. Está muito alta! Como você gasta tanto?

Antes eu fornecia água em abundância, hoje não disponho mais desta quantidade. Precisamos renegociar o uso.

Porque alguns na casa comem o suficiente e outros estão morrendo de fome, se o quintal é tão grande? Se cuidar bem da terra vai ter alimento para todos!

Você cortou as árvores que dão sombra, ar e equilíbrio. O sol está muito quente e o calor aumentou. Você precisa replantar novamente!

Todos os bichos e as plantas do imenso jardim devem ser cuidados e preservados. Procurei alguns animais, e não os encontrei. Sei que quando aluguei a casa eles existiam...

Precisam verificar que cores estranhas estão no céu! Não vejo o azul!

Por falar em lixo, que sujeira hein??? Encontrei objetos estranhos pelo caminho! Isopor, pneus, plásticos...

Não vi os peixes que moram nos rios e lagos. Vocês pescaram todos? Onde estão?

Bom, é hora de conversarmos. Preciso saber se você ainda quer morar aqui. Caso afirmativo, o que você pode fazer para cumprir o contrato?

Gostaria de você sempre comigo, mas tudo tem um limite.

Você pode mudar?

Aguardo respostas e atitudes.

Sua casa "O Planeta Terra".
Autor desconhecido

Lago

Torne-se um lago
O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d'água e bebesse.

-'Qual é o gosto?' - perguntou o Mestre.

-'Ruim' - disse o aprendiz.

O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.

Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago. Então o velho disse:

-'Beba um pouco dessa água'. Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:

-'Qual é o gosto?'

-'Bom!' disse o rapaz.

-'Você sente o gosto do sal?' perguntou o Mestre.

-'Não' disse o jovem.

O Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:

-'A dor na vida de uma pessoa não muda.

Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.

Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está a sua volta.

É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu. Em outras palavras:

É deixar de Ser copo, para tornar-se um Lago.
Autor desconhecido

Silêncio x Sabedoria

SILÊNCIO = Uma Sabedoria necessária
O silêncio faz grande falta na civilização contemporânea,

Fala-se em demasia e, por conseguinte, fala-se do que não de deve, ou do que não se sabe, ou que não convém, apenas pelo hábito de falar.

Há uma preocupação muito excessiva em falar, opinar, mesmo quando se desconhece a questão.

Aumenta assim, a maledicência, confunde-se as opiniões, entorpecem-se os conteúdos das palavras.

Se cada pessoa falasse apenas o necessário no momento oportuno, haveria um salutar silêncio na Terra.

Não opines mal a respeito de ninguém, mesmo que o outro mereça.

Tampouco, te deixes emaranhar pelos que falam mal do próximo. Eles terminarão por te submeter-te à opinião que lhes apraz, armando-te contra aqueles com quem não simpatizam.

Acredite ouvir te faz muito melhor, do que falar o desnecessário.

O silêncio faz bem àquele que o conserva.

Baseado em (Momentos de saúde) De Divaldo Pereira franco

DEUS

os desígnios de Deus
A Bíblia e os documentos da Igreja usam esta expressão: "os desígnios de Deus" .

Desígnio é mais que um simples desejo, são as disposições de Deus:

Seus planos, Seus projetos, Seus propósitos de amor para conosco. Ele tem desígnios de amor para a nossa vida, por isso, necessitamos entrar nos propósitos de Deus.

Se caminharmos segundo a vontade de Deus, a nossa vida seguirá como um rio: tortuoso sim, com muitos obstáculos no seu leito, mas, seguro em seu curso natural.

Por outro lado,se não formos dóceis à vontade Dele, não seremos pessoas felizes e realizadas.

Uma árvore, mesmo não produzindo nenhuma flor e nenhum fruto, já realiza o seu papel.

Durante a noite, ela transforma o gás carbônico e toda a poluição em oxigênio.

Todo ser que realiza a finalidade de sua existência é uma bênção para si e para os outros.

E aquele que faz tudo ao contrário do que Deus lhe pede e, foge da razão da sua própria existência, torna-se um infeliz, um frustrado... porque fugiu da graça.

A criatura humana foi criada para Deus. Quando se encaminha para Ele, torna-se uma felicidade e uma bênção para si e o para os demais.

Carroça

Não carregue mais Carroça
“Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra” Salmos 46:10

Em 1990 havia um cavalo pangaré chamado Mumu dos Anjos que era usado por um desses catadores de papelão para puxar carroça.

Mumu era visto subindo e descendo o morro da Favela no RJ carregando o pesado e ingrato fardo de coisas velhas e papelão usado. Comendo mato e pedaços de velhas espigas de milhos ou sobras que lhe davam.

Esta era a vida de Mumu e o seu destino parecia terminar assim, até que seu dono decidiu vende-lo para pegar um dinheirinho.

Naquela na região havia um senhor que queria comprar um cavalo para dar à sua filha adolescente que estava aprendendo a cavalgar, por esta razão nada melhor que usar um pangaré.

Aconteceu que o pai desta menina tinha outro cavalo (só que de raça) e estava participando de um torneio na Hípica do Rio de Janeiro.

No dia anterior à competição o cavalo de raça se machucou e ficou impedido de participar do torneio.A solução para manter-se inscrito era usar outro cavalo foi então que colocaram o pangaré Mumu, somente para manter o nome da equipe inscrita.

Desengonçado, sem treinamento, sem pedigree e sem história, Mumu era um daqueles que ninguém acreditava, nem sequer apostava. Bom a surpresa veio!!

Mumu viu e entendeu que a vida lhe estava abrindo uma porta, e correu, correu, correu como nunca. Bom ele ganhou. Ninguém acreditou.

Anos depois o preço de Mumu estava por volta de Meio Milhão de Dólares, passando a ser transportado de avião, comendo ração importada, e sendo tratado como um rei. Obviamente continua correndo!!!

A historia deste deste pangaré é verdadeira e foi publicada no Jornal Gazeta Mercantil em 1990 . Assim como Mumu ,eu ,você e muitos outros não tivemos uma família rica, educação de primeira, viagens internacionais , alimentação balanceada ou outro tipo de preparo.

Isto as vezes se torna um peso para muitas pessoas que não lutam por acharem que não são competitivas.

No entanto veja que a vida de Mumu mudou a partir do dia que ele teve uma oportunidade e entendeu que precisava correr, para não continuar naquela mísera situação. Apesar de ter uma aparência de que nunca chegaria lá, ele mostrou ser possivel

Amigo de Deus, não importa sua idade , está na hora de largar a carroça, deixar para trás os sentimentos de eu não consigo, sou pobre, sou feio, sou sozinho, ninguém me ajuda, não tenho sorte etc.

É hora de acordar e saber que lá fora tem uma corrida acontecendo. Se as coisas não acontecem na vida profissional e você não é realizado, ao invés de reclamar das bagas de milho que possa estar comendo, procure ver aquilo que está faltando.

Quem sabe você não tem feito a coisa da forma certa, um currículo mal elaborado, é muito ansioso nas entrevistas , fala demais, não sabe ouvir, não é confiável no trabalho, falta muito, chega sempre atrasado, vive dizendo pequenas mentirinhas, não tem educação para falar com as pessoas ou é do tipo pavio curto?

Quem sabe falta aquele - Muito obrigado - Com licença -Por favor - Me desculpe, ou ainda um sorriso. De repente um simples sorriso muda tudo e abre muitas portas. Um Coração alegre aformoseia o rosto, portanto deixe de ser zangão.

Lembre-se que antes de querer ser Divino é necessário ser mais Humano. Talvez o problema seja simplesmente que você tenha que voltar a escola terminar o ginásio, colégio, a faculdade, uma Pós Graduação ou quem sabe aquele curso de Modelagem, Costura Industrial, Telemarketing, Idiomas.

Existem muitos cursos de ótima qualidade e que são gratuitos oferecidos pelas Sindicatos ,Prefeitura, Associações Comunidade e Igrejas, corra!!

Busque nos jornais de Domingo, consulte na Internet, pergunte às pessoas que você conhece, e finalmente espalhe que você quer correr atrás de algo que lhe falta. Certamente alguém será usado para lhe abrir a porta da oportunidade.

Quando isto acontecer e seu nome for chamado, Levante e Corra . Mais corra, corra, corra muito mesmo, pois esta pode ser a sua única chance de largar a Carroça!!!

Nelson Aprígio de Lima

Aquecimento global

Ajude a combater o aquecimento global
Você pode começar a mudar esse cenário hoje. Veja como:

» Troque as lâmpadas. Substitua uma lâmpada convencional por uma fluorescente, além de gastar 60% a menos de energia que uma lâmpada incandescente ainda reduz a emissão de dióxido de carbono (CO2) em até 70 kg por ano.

» Use menos o carro. Caminhe, vá de bicicleta, use transporte coletivo ou, pelo menos, tente revezar o uso do carro com amigos com mais freqüência. Cada quilômetro a menos rodado de carro representa 300 gramas a menos de dióxido de carbono (CO2) emitido.

» Verifique os pneus. Manter os pneus calibrados pode reduzir o consumo de combustível em mais de 3%. E cada litro de gasolina economizado representa quase 3 kg a menos de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera.

» Recicle mais. Você pode evitar a emissão de uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) por ano, somente reciclando o lixo de sua casa.

» Retire os eletrodomésticos da tomada quando não estiverem sendo usados. Mesmo desligados, equipamentos como secadores, carregadores de celular e televisão são responsáveis por quase 5% do consumo total de energia da sua casa no mês. Isso porque eles consomem energia para manter visores acesos ou memórias ligadas. Com isso, conseguimos reduzir 18 milhões de toneladas de envio de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera no ano.

» Consuma menos água quente. Gasta-se muita energia para aquecer a água. Use menos água quente instalando um chuveiro de fluxo reduzido e dê preferência por lavar suas roupas com água morna ou fria. Você economiza energia e pode evitar a emissão de 160 kg (chuveiro) e 225 kg (lavar roupa) de dióxido de carbono (CO2).

» Evite produtos com excesso de embalagens. Você pode evitar a emissão de 550 kg de dióxido de carbono (CO2) no ar se reduzir seu lixo em apenas 10%.

» Plante uma árvore. Uma única árvore é capaz de absorver uma tonelada de dióxido de carbono (CO2) ao longo de sua existência.

» Compre alimentos orgânicos sempre que possível. O solo orgânico captura e armazena um nível muito maior de dióxido de carbono (CO2) do que os solos de fazendas convencionais. Se plantássemos todo o milho e soja do mundo de forma orgânica, retiraríamos da atmosfera aproximadamente 263 bilhões de kg de dióxido de carbono (CO2).

» Torne-se parte da solução. Saiba mais sobre o assunto, assista ao filme Uma Verdade Inconveniente e fique sabendo mais sobre o problema do aquecimento global e envie essas dicas para seus amigos.

Fonte: site do Banco Real

Generosidade

Generosidade
Generosidade é capacitar todos a progredirem.

Aquele que é generoso diz: você primeiro.

Ele não fica o tempo todo falando eu, eu.

Generosidade é manter os outros na frente.

Paradoxalmente, quando a pessoa não tem o desejo de manter-se a frente, ela alcança os frutos que seu coração deseja. A linguagem da generosidade é a linguagem do contentamento e de trazer benefício a todos.

Os que falam essa linguagem são chamados de vitoriosos.
Autor desconhecido

18 atitudes de auto estima

18 Atitudes de Auto-Estima
CONHECENDO A AUTO ESTIMA

Características da baixa auto-estima: insegurança, sensação de inadequação, incertezas e dúvidas constantes, irrefreável necessidade de aprovação, decorrentes, em geral de processos de perda, abandono, rejeição e críticas

Formamos a opinião e o sentimento que temos por nós mesmos na infância, absorvendo dos adultos, o conceito sobre nós próprios. Assim, se formos incentivados seremos confiantes e teremos iniciativa e autoconfiança. Seremos capazes de respeitar, confiar e gostar de nós mesmos. Ao contrário se recebermos críticas, proibições severas e humilhação, nossa tendência será de duvidar de nossa capacidade e teremos baixa auto?estima.

Com a auto-estima elevada, por sua vez, somos o reverso. Ficamos mais dispostos ao elogio e à expressão de afeto, ficamos menos ansiosos, mais auto-confiantes e satisfeitos. Somos capazes de construir relações mais saudáveis e criativas e de conquistar a paz interior. Essa que conquistamos sozinhos e que ninguém nos tira.

18 ATITUDES DE AUTO- ESTIMA

1) Seja o melhor amigo que você tem. Incentive e ame a si mesmo. Não tenha expectativas de ser perfeito. Dê uma chance a si mesmo.

2) Tome tempo para gozar sua vida. Escolha algo que você gosta e programe isto dentro do seu tempo, assim como marcaria uma consulta médica importante. Faça disso uma prioridade.

3) Livre-se do passado. Abra mão da dor, da raiva, das desilusões e da culpa. Se alguma delas voltar a se infiltrar na sua vida, livre-se dela quantas vezes for preciso.

4) Não tente agradar a todos. Essa é uma tarefa humanamente impossível. Aprenda a dizer NÃO, pois em muitas situações essa expressão não só é inevitável como necessária.

5) Estabeleça metas para sua vida. Reveja regularmente suas metas a curto e longo prazo. Não tenha medo de buscar algo difícil.

6) Invista no autoconhecimento, Investigue-se, dedique mais tempo a você, suas necessidades, suas escolhas. Não tenha pressa.

7) Fale positivamente consigo mesmo.Use afirmações para dar à sua mente uma mensagem fortemente positiva. Canalize a energia que você tem dentro de si para levá-lo à sua meta escolhida.

8) Visualize o seu comportamento de sucesso. Em cada aspecto de sua vida, visualize-se atingindo sua meta. Sinta as emoções e o prazer de realizar aquilo a que você se propôs. Torne-se o que pensa.

9) Faça escolhas para sua vida. Você é livre para mudar, para crescer, e para escolher como irá viver o resto da sua vida.

10) Selecione as pessoas que terão o privilégio de viver com você. De fazer parte da sua vida. Existem aquelas que, definitivamente, não valem a pena. O seu tempo é precioso. Não o desperdice.

11) Alie-se a outras pessoas. Aprenda a depender dos outros para obter informações, apoio e exemplos. Você não precisa fazer tudo sozinho.

12) Não culpe ninguém pelos erros que você comete E não encare as criticas como ataques pessoais. Aprenda a receber críticas. Lembre-se que somos pessoas diferentes. Cada uma percebe as coisas a sua maneira, de acordo com as suas circunstâncias e experiências. Sempre podemos aprender com os outros.

13) Acostume-se com sua imagem no espelho e aprenda a gostar dela. Realce as partes que mais gosta. Mas por você, não por conta da opinião alheia. Lembre-se que defeitos todos têm.

14) Ouça a sua intuição. Confie em você. No seu próprio valor, nas suas qualidades, ainda que os outros não reconheçam ou não concordem com você.

15) Busque prazer no trabalho. É onde gastamos a maior parte do nosso tempo. Portanto, além do dinheiro, ele deve ser uma fonte de satisfação.

16) Como está a sua casa? Reflete harmonia, equilíbrio e bem-estar? O seu espaço deve refletir o seu mundo interior. Uma casa desorganizada tende a destruir sua auto-estima. Faça uma faxina já!

17) Escreva o seu roteiro de vida na família. Decida o papel que você quer desempenhar no filme da sua família. Siga o roteiro que você tiver escrito, em lugar do roteiro que foi preparado por você pelas expectativas e decisões do outros.

18) Aceite-se como você é. Ame a si mesmo física, mental e emocionalmente como amaria um amigo querido. Encoraje esse amigo a crescer, não com críticas, mas com uma carinhosa aceitação.

Nilcely Gomes Costa

Sua presença é um presente

Sua presença é um presente para o mundo
Você é único e só há um igual a você.

Sua vida pode ser o que quiser que ela seja.

Viva os dias, apenas um de cada vez.

Conte suas bênçãos,não seus problemas.

Você os superará venha o que vier.

Dentro de você há muitas respostas.

Compreenda, tenha coragem, seja forte.

Não coloque limites em si mesmo.

Muitos sonhos estão esperando para serem realizados.

As decisões são muito importantes para serem deixada ao acaso.

Alcance seu máximo, seu melhor e seu prêmio.

Nada consome mais energia do que a preocupação.

Quanto mais tempo se carrega um problema, mais pesado ele fica.

Não leve as coisas tão a sério.

Viva uma vida de serenidade, não de arrependimentos.

Lembre-se de que um pouco de amor dura muito.

Lembre-se muito disso: dura para sempre.

Lembre-se que a amizade é um investimento sábio.

Os tesouros da vida são todas as pessoas.

Perceba que nunca é tarde demais.

Faça coisas simples e de forma simples.

Tenha saúde, esperança e felicidade.

E nunca jamais esqueça,

por se quer um dia

o quanto você é especial !!!
Autor desconmhecido

Homem diferente

Um homem diferente
O que faz que uma pessoa se destaque, no contexto social?

Dirão alguns, talvez, que a soma dos valores que detém em contas bancárias, aplicações, rendas, bens móveis e imóveis.

Poderão pensar outros que o destaque se pode dar no ambiente artístico, cultural, político.

A pessoa também poderá se destacar pela inteligência, pela visão de mundo, adiante de seu próprio tempo.

Ou pela beleza, pelo porte, pelo discurso fácil, ágil, atilado.

No entanto, o maior destaque, com certeza, é no campo moral. A intimidade do ser.

Porque alguém pode ser muito rico, belo, de discurso impecável, um cientista, uma alta inteligência e ser moralmente pobre.

Na atualidade, o tom dominante parece ser o de fazer o que todos fazem.

Assim, os homens desejam mostrar virilidade, sendo comandantes de sua própria casa.

As mulheres desejam demonstrar que são belas e desejadas, que jamais a solidão as haverá de abraçar.

E assim por diante...

Dizemos que isso faz parte da cultura do país onde se vive, do mundo onde nos movemos.

Será que não podemos destoar do comum? Será que não podemos nos destacar, exatamente por sermos diferentes?

Na Índia, entre os parses, a mulher é educada para servir ao homem.

Ela deve lhe dar muitos filhos, pois se assim não for, significa que algo errado existe na relação matrimonial.

Ela deve ser-lhe a servidora, preparando-lhe os pratos de arroz, lentilhas, carnes, a cada dia.

Deve zelar pela sua roupa, porque ele precisa parecer impecável aos olhos do mundo.

Pois aquela mulher nascida em Calcutá se apaixonara por um jovem de Bombaim.

Conhecera-o em casa de uma amiga, em uma festa. Pouco mais de 4 meses depois, estava casada.

Logo que os dois se casaram, ela havia insistido em passar a ferro as camisetas finas para ele.

Ele, no entanto, fincara pé e lhe dissera que se casara com ela por amor e para ter a sua companhia.

Se desejasse simplesmente alguém que lavasse e passasse a sua roupa teria se casado com quem trabalhava exatamente para cuidar do seu vestuário.

Seu senso de justiça, sua indignação moral diante do status inferior das mulheres, entre os seus, era inigualável.

Mais de uma vez a jovem sentira a inveja das amigas.

Qual é o segredo? Lhe indagavam. Como foi que você o treinou tão bem?

Mas ela dizia que nada tinha a ver com isso. Ele chegara a ela desse jeito.

Ele é a pessoa mais justa que eu conheço. Acredita na igualdade de direitos para as mulheres.

* * * Um homem diferente, destoando entre os de sua estirpe. Dentro de sua própria comunidade.

Isso nos diz que não importa onde vivamos, a cultura que se nos impõe.

Cada qual pode, dentro de seus parâmetros de justiça e moral, ser diferente. Destoar para melhor.

Ser uma flor perfumada, colorida, num campo cinzento de erva seca e dura.

Pensemos nisso! informações colhidas no livro A doçura do mundo, de Thrity Umrigar, ed. Nova Fronteira.
Autor de desconhecido

Estacas Mentais

ESTACAS MENTAIS
Uma caravana de camelos atravessava o deserto.

Chegou à hora do descanso e o cameleiro preparava-se como habitualmente para prender os camelos às estacas quando verificou que faltava uma estaca .

Não sabendo como resolver o problema, perguntou ao mestre da caravana:

- Mestre, falta-me uma estaca para um camelo. Como fazer?

- Não tenhas problema. Eles estão tão habituados a ficar preso que se tu fingires que o atas com a corda, ele pensará que está preso e nem sequer tentará sair do sitio.

O cameleiro assim fez e o camelo ali ficou toda à noite.

No dia seguinte quando se preparavam para partir esse camelo simplesmente recusou-se a sair do sítio, mesmo quando o cameleiro o puxava com toda a força. Sem saber que atitude tomar, dirigiu-se de novo ao mestre contando-lhe o sucedido.

- Homem, respondeu-lhe o mestre. Que fizeste ontem? Não fingiste que o ataste à estaca? Então faz o mesmo hoje. Finge que o desamarras. O camelo, mal o cameleiro fingiu que o desatava da estaca imaginária, recomeçou a caminhada.

Muitas vezes não avançamos devido às nossas "estacas mentais". É o desconforto da acomodação.

Autor desconhecido

Arvore

Árvore
A árvore generosa eleva-se à beira da estrada.

Os famintos e exaustos que por ali passam, buscam-lhe os frutos.

Jogam pedras..sacodem-lhe os galhos Esmagam-lhe os brotos tenros, ferem-lhe o tronco.

Mas, a árvore, sem queixa nem revolta, doa a todos, os frutos substanciosos.

Assim é tb na estrada de nossa existência.

Há pessoas que nos atiram pedras de ingratidão, Sacodem nossos corações com injúrias,incompreensão.

Esmagam nossas esperanças com as pancadas da crítica...

Aprendamos com a árvore..sorrindo fraternalmente, vamos doando os frutos do nosso esforço, sem revolta ou queixa.

Quando esteve humanizado entre nós, com amor incomum, esse foi o destino do MESTRE JESUS !!! "

QUE A SUA SEMANA SEJA DE MUITO AMOR E DOAÇÃO.

QUE A LUZ DO MESTRE FAÇA MORADA EM SEU CORAÇÃO!!!
Autor desconhecido

Paredes dos vagões

As paredes dos vagões
David H. Roper

Certo dia, tomei café da manhã com um homem que vendeu jornais e engraxava sapatos, a 60 anos atrás, nas ruas de uma cidade de Idaho, nos Estados Unidos. Ele me contou sobre a sua vida naqueles dias, e como as coisas haviam mudado.

Eu lhe perguntei: "O que mais mudou desde então?" Ele disse: "As pessoas, elas não se importam mais umas com as outras."

Como exemplo, ele contou-me sobre a sua mãe, que muitas vezes deu comida a homens que vinham à sua casa. Cada dia, ela preparava comida para a sua família e então fazia diversas refeições a mais porque sabia que viajantes sem nenhum lar iriam aparecer na hora das refeições.

Ela tinha uma profunda compaixão por aqueles em necessidade. Certa vez, ela perguntou a um homem como ele encontrou o caminho até a sua porta.

Ele disse-lhe: "O seu endereço está escrito em todas as paredes dos vagões de trem."

Eu quisera que esse tipo de elogia pudesse ser dito de todos nós. Alimentando as multidões, Jesus nos deu um exemplo do que significa importar-se com as necessidades físicas e espirituais dos outros (Bíblia, livro de Marcos, capítulo 8 versos 1 a 9).

Seria maravilhoso se os nossos lares fosses conhecidos como lugares onde as pessoas famintas pudessem encontrar pão. Mas, mais do que isto, precisamos pedir a Deus para que os nossos lares sejam conhecidos como lugares onde homens, mulheres e crianças espiritualmente famintos sejam amados, ouvidos, e recebam o Pão da Vida.

Como sair da depressão

COMO SAIR DA DEPRESSÃO!
É muito comum, diante da vida que levamos, ficarmos de vez em quando agoniados, com sensações de pessimismo e de tristeza, que nos levam a um quadro depressivo. Quando nos encontrarmos nessa situação, vale a pena verificar, inicialmente, se esse quadro surgiu pelo fato de alguém ter nos ofendido em um dado momento.

Se a gente descobre, então, que a depressão teve origem a partir de alguma ofensa recebida, podemos sair dela perdoando o ofensor no clima da compreensão. Assim, estaremos eliminando mágoas e ressentimentos, causadores de tão doentios e malignos sentimentos dentro da nossa alma, uma vez que o perdão é a única solução para sairmos dessa “fossa” interior.

E não há outro caminho, senão o de perdoarmos os nossos ofensores.

Quantas vezes, também, ficamos tristes e deprimidos ao ferirmos alguém, e não nos desculpamos interiormente pela falta cometida. Isso se dá pelo fato de acreditarmos que em hipótese alguma podemos errar nessa vida.

Neste caso, é preciso deixar o orgulho de lado e concedermos o autoperdão a nós mesmos, porque, pensando bem: se erramos no passado, hoje, mais amadurecidos, somos outra pessoa, temos outra cabeça. Porém, devemos ter cuidado para não acreditarmos que somos infalíveis, idéia por sinal muito perigosa.

No entanto, a melhor forma de nos autodesculparmos será sempre através da reparação do mal que tenhamos feito ao próximo, pela prática do bem em seu favor. Convenhamos, se somos passíveis de errar usando o nosso livre arbítrio, logicamente temos condições de reparar todos os erros cometidos, utilizando a liberdade concedida pelo Divino Criador.

Convém observar, ainda, se o desânimo que sentimos e a perda do prazer nas atividades diárias decorrem dos momentos difíceis que estamos atravessando.

Nesses casos, a melhor forma para sairmos da depressão é orarmos a Deus com toda fé e sinceridade, pedindo forças e coragem para prosseguirmos vivendo com entusiasmo e esperança no futuro, pois o Pai Celestial nunca está pobre de misericórdia.

Gerson Simões Monteiro

Como não educar seus filhos...

COMO NÃO EDUCAR SEUS FILHOS
Policiais de Houston, no Texas, publicaram uma norma de 10 pontos de “como criar um delinqüente”. É interessante meditar neste resumo:

1- Comece na infância a dar a seu filho tudo o que ele quiser. Assim, quando ele crescer, acreditará que o mundo tem obrigação de lhe dar tudo o que ele deseja.

2- Quando ele disser nomes feios, ache graça. Isso o fará considerar-se interessante.

3- Nunca lhe dê qualquer orientação religiosa. Espere até ele chegar aos 21 anos e “decida por si mesmo”.

4- Apanhe tudo o que ele deixar jogado: livros, sapatos, roupas. Faça tudo para ele, para que aprenda a jogar sobre os outros toda a responsabilidade.

5- Discuta com freqüência na presença deles. Assim não ficará muito chocado quando o lar se desfizer mais tarde.

6- Dê-lhe todo o dinheiro que quiser.

7- Satisfaça todos os seus desejos de comida, bebida e conforto. Negar pode acarretar “frustrações prejudiciais”.

8- Tome partido dele contra vizinhos, professores e policiais. (Todos têm má vontade com seu filho).

9- Quando ele se meter em alguma encrenca séria, dê esta desculpa: “Nunca consegui dominá-lo”.E, finalmente…

10- Prepare-se para uma vida de desgosto. Vivemos num mundo com tanta violência e visível falta de educação. Vale a pena pensarmos melhor em que tipo de valores estamos repassando aos nossos filhos. Se você achou interessante esta mensagem repasse ao maior número possível de pais, professores e de, futuros pais. O mundo precisa de cidadãos de bem, e a responsabilidade também é nossa.

(fonte desconhecida) De Jonathan Polk traduzido por Ricardo Gomes

11 de setembro

Que fazer depois do 11 de Setembro
Passados 7 anos daquela tragédia que vitimou quase 3000 pessoas, o que resta fazer? Será que os corações americanos já se esqueceram! Os americanos estão seguros quanto ao dia de amanhã?

A essas três perguntas daremos a seguinte resposta:

- Não sabemos, não temos respostas, muito menos os americanos sabem ou as têm!

A verdade é que de lá para cá muitas lições eles têm aprendido com esse episódio negro e doloroso da nação, considerada a nação mais democrática e mais cristã do mundo.

Mas sabemos quando nos faltam respostas para situações tão complexas como essas podemos buscar soluções da maneira mais prática que existe: Em Deus!

O salmista no Salmo 121, quando ele também pergunta no (v1): "Elevo os meus olho para os montes, de onde me virá o socorro?", nos sugere, ao passarmos por dúvidas como as que os americanos passam desde aquele dia 11 de Setembro de 2001:

O socorro vem do Senhor, criador dos Céus e da Terra. (v2.) e dá 4 motivos por que confiar em Deus:

Aquele que te guarda não dorme. (v 3 e 4). O fato na questão de quem é o seu guarda! Infelizmente Deus não pode guardar quem está longe dele, quem não crê nele, quem não confia a sua vida em suas mãos.

Aquele que te guarda é a sua sombra, por isso o Sol não te fará mal algum. (v6). Aqui o texto representa as ações que podem afligir nosso corpo físico, nossa saúde. Mesmos às ações mais nocivas, que possamos receber contra nós não terão efeito, pois Ele neutralizará todas!

Aquele que te guarda guardará a tua alma de todo mal (v. 7). A alma aqui representa as ações que afligem nosso interior, nossas emoções, principalmente quando somos derrotados, ameaçados, desafiados e subjugados e oprimidos. Mesmo que nos depararmos com tais circunstâncias ele é capaz de livrar nossa alma das mais terríveis conseqüências;

Aquele que te guarda protege a tua entrada e a tua saída (v. 8). Aqui o texto representa o mundo espiritual que não enxergamos e muitas vezes também não somos capazes de perceber, e ainda bem, caso contrário seríamos consumidos por antecipação, pois nem imaginamos com Deus tem batalhado por nós no mundo espiritual, no invisível. Por isso que ele ordena a seus anjos servirem àqueles que nele confia, na entrada e na saída, ou seja: Pela frente, por de trás, por cima e por baixo.

Esperamos que todos nós e não somente o povo americano que desde aquele dia tem enchido os templos evangélicos, busque ardentemente o primeiro amor, amor que de quem não dorme, é sombra, livra do mal e ordena sentinelas como guarda-costas e salva-vidas espirituais!

Elevem seus olhos para os céus, é de lá que vem o socorro, o socorro vem do Senhor dos céus!

Pare e Pense!

Pr. Eg-Lom de Moraes

Certificação

Certificação do ser humano
Hoje, tudo é certificado!

São tantos ISOS: 9000, 9001, 14.000.

Certificamos mesas, cadeiras, computadores, Enfim, uma infinidade de equipamentos e de serviços.

Mas, esquecemos de certificar o Ser Humano.

Que tal: RESPEITO 10.000, CORDIALIDADE 15.000, SOLIDARIEDADE 20.000, SINCERIDADE 20.001, HONESTIDADE 25.000, PERCEPÇÃO 30.000, HUMILDADE 40.000.

Será que conseguiremos tantas certificações?

Temos a ABTN “Associação Brasileira de Normas Técnicas”!

Teríamos que criar ABCN “Associação Brasileira de Compreensão Humana”.

Imaginem os processos para tais certificações, seríamos tão rigorosos?

Já temos algumas pessoas que conseguiram algumas certificações, Criaram seus próprios mundos e consideram-se detentores do conhecimento.

Foram batizadas com: ARROGÂNCIA 9000, INTOLERÂNCIA 20.000, DESRESPEITO 30.000, GANÂNCIA 30.001, ABUSO DE PODER 40.000, DESPREZO 40.002...

Fuja desse grupo, que se diz conhecedor de tudo, donos do mundo.

Talvez sejam lamentos !

Vamos reproduzir seres que agreguem valores consistentes, Não seres onipotentes.

Criem certificados para Segurança, Saúde, Educação, Equipamentos, Mas, não se esqueçam de aumentar a Certificação Humana...
Desconheço o autor

A menina das maças...

A Menina das maçãs
Agosto de 1942, Piotrkow, Polônia.

O céu estava cinzento naquela manhã em que esperávamos ansiosamente.

Todos os homens, mulheres e crianças do gueto judaico de Piotrkow tinham sido levados até uma praça. Fora espalhado o boato de que seríamos transferidos. Meu pai tinha morrido de tifo alguns dias antes, e a notícia se espalhara pelo gueto apinhado. Meu maior temor era que nossa família fosse separada. “”De maneira alguma,” sussurrou-me Isidore, meu irmão mais velho, “conte a eles a sua idade. Diga que tem dezesseis anos.” Eu era alto para um menino de onze, portanto poderia afirmar isto.

Dessa maneira eu poderia ser considerado útil como trabalhador. Um homem da SS aproximou-se de mim, as botas ressoando nas pedras. Olhou-me de alto a baixo, então perguntou minha idade. “Dezesseis,” eu disse. Ele encaminhou-me para a esquerda, onde meus três irmãos e outros jovens saudáveis já estavam.

Minha mãe foi levada para a direita com as outras mulheres, crianças, doentes e pessoas idosas. Cochichei para Isidore: “Por quê?” Ele não respondeu. Corri para o lado de mamãe e disse que queria ficar com ela. “Não,” disse ela firmemente. “Saia daqui. Não me aborreça. Vá com seus irmãos.” Ela jamais me falara tão duramente antes, mas eu entendi: mamãe estava me protegendo. Ela me amava tanto que, apenas por esta vez, ela fingiu não fazê-lo. Foi a última vez que a vi.

Meus irmãos e eu fomos transportados num vagão de gado até a Alemanha. Chegamos ao campo de concentração de Buchenwald numa noite várias semanas depois, e fomos levados até um barracão lotado. No dia seguinte, recebemos uniformes e números de identificação. “Não me chamem mais de Herman,” eu disse aos meus irmãos. “Chamem-me de 94983.” Fui designado para trabalhar no crematório do campo, colocando os mortos num elevador operado à manivela. Eu, também, me sentia morto. Endurecido, tinha me tornado um número. Em pouco tempo, meus irmãos e eu fomos enviados a Schlieben, um dos sub-campos de Buchenwald perto de Berlim.

Certa manhã, pensei ter ouvido a voz de minha mãe. “Filho,” dizia ela suave mas claramente, “estou enviando um anjo para você.” Então acordei. Fora apenas um sonho. Um lindo sonho. Porém num lugar daqueles não poderia haver anjos. Apenas trabalho, fome, e medo. Alguns dias depois, eu estava trabalhando no campo por trás dos barracões, perto da cerca de arame farpado onde os guardas não podiam ver com facilidade. Eu estava sozinho. No outro lado da cerca, divisei alguém, uma garota com cachos claros, quase luminosos. Estava meio escondida por trás de uma bétula. Olhei ao redor para me certificar que ninguém podia me ver, Chamei-a baixinho em alemão. “Você tem alguma coisa para comer?” Ela não entendeu. Aproximei-me mais da cerca e repeti a pergunta em polonês.

Ela deu um passo à frente. Eu era magro e macilento, com trapos ao redor dos pés, porém a menina não parecia assustada. Em seus olhos, eu via vida. Ela tirou uma maçã da sua jaqueta de lã e atirou-a por cima da cerca. Agarrei a fruta e, quando comecei a me afastar correndo, ouvi-a dizer baixinho: “Eu te vejo amanhã.”

Eu voltava ao mesmo ponto da cerca todos os dias à mesma hora. Ela estava sempre lá, com alguma coisa para eu comer; um pedaço de pão, ou melhor ainda, uma maçã. Não ousávamos conversar ou demorar ali. Ser apanhado significava a morte para nós dois. Eu não sabia nada sobre ela, “apenas uma garota da fazenda”, exceto que ela entendia polonês.

Qual era seu nome? Por que arriscava a vida por mim? A esperança era um artigo tão raro, e esta menina do outro lado da cerca me dava alguma, algo para me nutrir como faziam as maçãs e o pão.

Quase sete meses depois, meus irmãos e eu fomos colocados num carro de carvão e enviados para o campo Theresienstadt na Checoslováquia. “Não volte,” disse eu à garota aquele dia. “Estamos partindo.” Voltei-me em direção às barracas e não olhei para trás, nem sequer disse adeus à menina cujo nome eu jamais soube, a garota com as maçãs.

Ficamos em Theresientadt por três meses. A guerra estava diminuindo e as Forças Aliadas estavam se aproximando, porém meu destino parecia selado. Em 10 de maio de 1945, eu estava agendado para morrer na câmara de gás às 10 da manhã. No silêncio da madrugada, eu tentava me preparar. Tantas vezes a morte parecera me chamar, mas de alguma forma eu tinha sobrevivido. Agora, tudo estava acabado. Pensei nos meus pais. Pelo menos, estaríamos reunidos. Às 8 da manhã, houve uma comoção. Ouvi gritos, e vi pessoas correndo para todo lado através do campo. Consegui reunir-me aos meus irmãos.

As tropas russas tinham libertado o campo! Os portões foram abertos. Todos estavam correndo, portanto fiz o mesmo.

Surpreendentemente, todos os meus irmãos tinham sobrevivido; não sei como. Porém eu sabia que a garota com as maçãs tinha sido a chave da minha sobrevivência. Num lugar onde o mal parecia triunfar, a bondade de uma pessoa tinha salvado a minha vida, tinha me dado esperança onde não havia nenhuma. Minha mãe tinha prometido me enviar um anjo, e o anjo tinha vindo.

Com o tempo, consegui chegar à Inglaterra onde fui ajudado por uma instituição de caridade judaica, colocado num abrigo com outros meninos que tinham sobrevivido ao Holocausto e treinado em eletrônica. Então cheguei aos Estados Unidos, onde meu irmão Sam já estava morando. Alistei-me no exército americano durante a Guerra da Coréia e ao ser desembarcado na Itália, me apaixonei. Porém meus irmãos disseram: “Você partiu solteiro, volte para casa solteiro.” Por algum motivo, escutei-os e voltei à cidade de Nova York após dois anos, sozinho.

Em agosto de 1957 abri minha loja de consertos eletrônicos. Eu estava começando a me estabelecer. Um dia, meu amigo Sid, que eu conhecia desde a Inglaterra, telefonou-me. “Tenho um amigo que conhece uma moça da Polônia. Acho que você deveria encontrá-la.”

Um encontro às cegas? Não, aquilo não era para mim. Porém Sid ficava insistindo, e alguns dias depois fomos ao Brooklyn para encontrar Roma (Rivca). Tive de admitir, para um encontro às cegas até que não foi tão mau. Roma era enfermeira num hospital do Bronx. Era simpática, inteligente e cheia de vida.

Fomos de carro até Coney Island. Ela era uma pessoa agradável para conversar, uma boa companhia. Também estava cansada de encontros às cegas! Nós dois estávamos apenas fazendo um favor para amigos. Demos um passeio pelo calçadão na praia, apreciando a brisa do Atlântico, e depois jantamos ali perto. Achei a noite muito divertida. Voltamos ao carro de Sid, Roma e eu no banco traseiro. Como judeus europeus que tinham sobrevivido à guerra, sabíamos que havia muita coisa que ainda não fora dita entre nós. Ela aventou o assunto: “Onde você estava durante a guerra?”

“Nos campos,” eu disse, as terríveis lembranças ainda vívidas, a perda irreparável. Eu tinha tentado esquecer. Mas jamais se pode esquecer.

Ela assentiu. “Minha família estava escondida numa fazenda na Alemanha, não muito longe de Berlim. Meu pai conhecia um padre, e ele nos conseguiu documentos arianos.”

Imaginei como ela deveria ter sofrido também, tendo o medo como companheiro constante. E apesar de tudo ali estávamos nós, ambos sobreviventes, num novo mundo. “Havia um campo perto da fazenda,” continuou Roma. “Eu via um garoto ali e lhe jogava maçãs todos os dias.”

Que coincidência estranha ela ter ajudado algum outro menino. “Como era ele?” perguntei.

“Era alto. Magro. Faminto. Devo tê-lo visto todos os dias durante seis meses.” Meu coração estava pulando, eu não podia acreditar! Isso não era possível.

“Ele disse a você certo dia para não voltar porque ele estava deixando Schlieben?”

Roma olhou-me surpresa. “Sim.”

“Era eu!” Eu estava prestes a explodir de alegria e reverência, inundado pela emoção. Não podia acreditar. Meu anjo.

“Não vou deixá-la ir,” eu disse a Roma.

E na traseira do carro naquele encontro às cegas, eu a pedi em casamento. Não queria esperar.

“Você está louco!” disse ela. Porém convidou-me para conhecer seus pais no jantar do Shabat, na semana seguinte.

Havia tantas coisas que eu queria saber sobre Roma, porém as mais importantes eu já sabia; sua firmeza de caráter, sua bondade. Durante muitos meses, na pior das circunstâncias, ela tinha ido até a cerca e me dado esperança. Agora que eu a encontrara de novo, não a deixaria ir. Naquele dia, ela disse sim. E eu mantive minha palavra. Após quase 50 anos de casamento, dois filhos e três netos, eu jamais deixei-a ir.
Autor desconhecido

Sob pressão

Pressão deve vir de dentro, para depois ser transformada num sentimento de empolgação e exuberância. Pat Riley

Todos os dias você pode estar sob a ameaça de variadas formas de pressão - pressão para agradar seus pais, sua família, seus amigos; ou pressão para de uma forma passiva se submeter às regras de um determinado grupo, comissão ou empresa.

Considere, por exemplo, quanta influência você permite - em apenas um dia – que outras pessoas exerçam sobre seus pensamentos e seu comportamento. Você está temeroso de que as pessoas não gostem de você, ou desaprovem suas atitudes ou comportamento? Você se veste para impressionar outras pessoas? Você tem dificuldades em expressar sua opinião, quando ela difere da opinião dos outros? Sucumbir às pressões alheias significa curvar-se à opinião de outros, anulando as próprias convicções.

A próxima vez em que você se encontrar diante do dilema de fazer o que os outros desejam que você faça, em lugar de permanecer firme naquilo em que você acredita, e está convencido de ser a verdade, diga a você mesmo: Eu sou amado de Deus, e tenho um valor muito especial diante de seus olhos; a minha auto-estima, portanto, não depende da aprovação das outras pessoas.

Ao trazer à mente essa preciosa realidade, você irá perceber que lidar com pressões assumirá uma nova e encorajadora postura. .

Nélio DaSilva

Para Meditação:

O Senhor teu Deus está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo. Sofonias 3:17

Jogando o lixo fora...

Jogando o lixo fora
"Lavai-vos, purificai-vos; tirai de diante dos meus olhos a maldade dos vossos atos; cessai de fazer o mal" (Isaías 1:16).

É fácil, para nós, guardar lixo. Acostumamo-nos tanto com ele que o consideramos um tesouro! A mãe passa o dia limpando o porão e separa uma grande quantidade de quinquilharias que devem ser jogadas fora. O pai está no trabalho e quando chega em casa seleciona quase tudo e leva de volta para o porão. Sábio é o líder que conhece lixo quando o vê e tem a coragem de livrar-se dele.

Talvez estejamos colecionando lixo religioso que esteja entristecendo o Espírito Santo e dificultando a Sua atuação. Jogar fora o lixo não é fácil, mas muito importante para nosso crescimento diante de Deus.

Quanto lixo estamos ainda acumulando em nosso porão espiritual? E o que nos falta para decidir jogá-lo fora? Ele para nada serve a não ser impedir que Deus faça grandes coisas em nossas vidas e através delas.

Antigamente nós guardávamos mágoas, ressentimentos, ódio, avareza, ganância e outros tipos de quinquilharias que para nada serviam. Essas bugigangas espirituais tiram nossa paz, nossa fé, nossa alegria e impedem que experimentemos a plenitude das bênçãos do Senhor.

E se sabemos disso, por que continuamos guardando lixo em nosso coração? Por que não nos livramos imediatamente desse lixo?

É tempo de renovação, de limpeza, de varrer a casa e deixar ar puro entrar.

Peçamos a Deus que nos ajude a jogar esse lixo fora e que passe um desinfetante celestial no local onde estava armazenado. Com a nossa casa espiritual limpa, poderemos decorá-la com amor, compreensão, louvor ao Salvador, alegria e felicidade.

A nossa casa ficará mais perfumada e aconchegante.

Todos terão prazer em entrar e certamente ficarão admirados com a transformação encontrada.

Jogue fora todo o lixo e nunca mais permita que retorne

Pr. Paulo Roberto Barbosa (Site Escuro Iluminado)

Não me interessa...

Não me interessa
Não me interessa o que você faz para viver. Eu quero saber o que de fato você busca e se é capaz de ousar, sonhar, encontrar as aspirações de seu coração.

Não me interessa a sua idade, eu quero saber se você será capaz de se transformar para viver seus sonhos, aventurar-se a estar vivo.

Eu quero saber se você tocou o centro de sua tristeza, se você tem sido exposto pelas traições da vida ou se tem se contorcido e se fechado com medo da próxima dor.

Eu quero saber se você pode ficar com a alegria, a minha e a sua.

Eu quero saber se você é capaz de desapontar o outro para ser verdadeiro consigo mesmo.

Se você é capaz de suportar a acusação de traição e não trair a própria alma.

Eu quero saber se você pode ser confiável e verdadeiro.

Eu quero saber se você pode ver a beleza mesmo quando o dia não está belo e se pode ligar a sua vida a presença de DEUS.

Não me interessa onde você mora e nem quanto dinheiro você ganha, eu quero saber se é capaz de acordar depois da noite do desespero, exausto e ferido até a alma, e fazer aquilo que precisa ser feito.

Não me interessa onde e com quem você estudou. Eu quero saber o que o sustenta interiormente quando tudo o mais desabou.

Eu quero saber se você é capaz de ficar só consigo mesmo e se realmente é boa companhia para si, mesmo nos momentos vazios.

(Palavras de um chefe indígena a forasteiros que chegavam ...)

- Jorge Lordello -

Perfeição

Perfeição
Você já notou a perfeição que existe na natureza? Uma prova incontestável da harmonia que rege a Criação. Como num poema cósmico, Deus rima a vida humana com o ritmo dos Mundos.

Ao nascermos, é a primavera que eclode em seus perfumes e cores. Tudo é festa. A pele é viçosa. Cabelos e olhos brilham, o sorriso é fácil. Tudo traduz esperança e alegria.

Delicada primavera, como as crianças que encantam os nossos olhos com sua graça. Nessa época, tudo parece sorrir. Nenhuma preocupação perturba a alma.

A juventude corresponde ao auge do verão. Estação de calor e beleza, abençoada pelas chuvas ocasionais. O sol aquece as almas, renovam-se as promessas.

Os jovens acreditam que podem todas as coisas, que farão revoluções no Mundo, que corrigirão todos os erros.

Trazem a alma aquecida pelo entusiasmo. São impetuosos, vibrantes. Seus impulsos fortes também podem ser passageiros... Como as tempestades de verão.

Mas a vida corre célere. E um dia – que surpresa – a força do verão já se foi.

Uma olhada ao espelho nos mostra rugas, os cabelos que começam a embranquecer, mas também aponta a mente trabalhada pela maturidade, a conquista de uma visão mais completa sobre a existência. É a chegada do outono.

Nessa estação, a palavra é plenitude. Outono remete a uma época de reflexão e de profunda beleza. Suas paisagens inspiradoras - de folhas douradas e céus de cores incríveis – traduzem bem esse momento de nossa vida.

No outono da existência já não há a ingenuidade infantil ou o ímpeto incontido da juventude, mas há sabedoria acumulada, experiência e muita disposição para viver cada momento, aproveitando cada segundo.

Enfim, um dia chega o inverno. A mais inquietante das estações. Muitos temem o inverno, como temem a velhice. É que esquecem a beleza misteriosa das paisagens cobertas de neve.

Época de recolhimento? Em parte. O inverno é também a época do compartilhamento de experiências.

Quem disse que a velhice é triste? Ela pode ser calorosa e feliz, como uma noite de inverno diante da lareira, na companhia dos seres amados.

Velhice também pode ser chocolate quente, sorrisos gentis, leitura sossegada, generosidade com filhos e netos. Basta que não se deixe que o frio enregele a alma.

Felizes seremos nós se aproveitarmos a beleza de cada estação. Da primavera levarmos pela vida inteira a espontaneidade e a alegria.

Do verão, a leveza e a força de vontade. Do outono, a reflexão. Do inverno, a experiência que se compartilha com os seres amados.

A mensagem das estações em nossa vida vai além. Quando pensar com tristeza na velhice, afaste de imediato essa idéia.

Lembre-se que após o inverno surge novamente a primavera. E tudo recomeça.

Nós também recomeçaremos. Nossa trajetória não se resume ao fim do inverno. Há outras vidas, com novas estações. E todas iniciam pela primavera da idade.

Seremos plenos, seremos belos. Basta para isso amar. Amar muito.

Amar as pessoas, as flores, os bichos, os Mundos que giram serenos. Amar, enfim, a Criação Divina. Amar tanto que a vida se transforme numa eterna primavera.
Autor desconhecido

Quero ser como um televisor...

Quero ser como um televisor
A professora Ana Maria pediu aos alunos que fizessem uma redação e nela colocassem o que eles gostariam que Deus fizesse por eles.

Já em sua casa, corrigindo as redações, ela se depara com uma que a deixa muito emocionada. Neste momento, o marido entra e pergunta:

- O que aconteceu?

- Leia você mesmo!

Era a redação de um menino, que dizia:

"Senhor, esta noite eu quero te pedir algo muito especial.

Por favor, me transforme em um televisor. Quero ser como a TV da minha casa. Quero ter um lugar especial para mim, e reunir minha família ao meu redor.

Quero ser levado a sério quando falo. Quero ser o centro das atenções, e ser escutado sem interrupções.

Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona, e ter a companhia dos meus pais quando eles chegam em casa, mesmo que estejam cansados.

E que minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de ignorar-me.

E ainda que meus irmãos "briguem" para estar comigo.

Quero sentir que a minha família às vezes deixa tudo de lado pra passar alguns momentos comigo.

Ao terminar de ler a redação, o marido de Ana Maria comenta:

- Meu Deus! Coitado desse menino. Imagine como deve ser essa família!

E Ana Maria responde:

- Essa redação é do nosso filho!

(Enviado por Edson Martos. Adaptado por Marco Fabossi)

Escolhas

Escolhas
Você pode curtir ser quem você é, do jeito que você for, ou viver infeliz por não ser quem você gostaria.

Você pode assumir sua individualidade, reprimir seus talentos e sonhos, tentando ser o que os outros gostariam que você fosse.

Você pode produzir-se e ir se divertir, brincar, cantar e dançar, ou dizer em tom amargo que já passou da idade ou que essas coisas são fúteis, não sérias e bem situadas como você.

Você pode olhar com ternura e respeito para si próprio e para as outras pessoas, ou com aquele olhar de censura, que poda, pune, fere e mata, sem nenhuma consideração para com os desejos, limites e dificuldades de cada um, inclusive os seus.

Você pode amar e deixar-se amar de maneira incondicional, ou ficar se lamentando pela falta de gente à sua volta.

Você pode ouvir o seu coração e viver apaixonadamente ou agir de acordo com o figurino da cabeça, tentando analisar e explicar a vida antes de vivê-la.

Você pode deixá-la como está para ver como é que fica ou com paciência e trabalho conseguir realizar as mudanças necessárias na sua vida e no mundo à sua volta.

Você pode deixar que o medo de perder paralise seus planos ou partir para a ação com o pouco que tem e muita vontade de ganhar.

Você pode amaldiçoar sua sorte, ou encarar a situação como uma grande oportunidade de crescimento que a Vida lhe oferece.

Você pode mentir para si mesmo, achando desculpas e culpados para todas as suas insatisfações, ou encarar a verdade de que, no fim das contas, sempre você é quem decide o tipo de vida que quer levar.

Você pode escolher o seu destino e, através de ações concretas, caminhar firme em direção a ele, com marchas e contramarchas, avanços e retrocessos, ou continuar acreditando que ele já estava escrito nas estrelas e nada mais lhe resta a fazer senão sofrer.

Você pode viver o presente que a Vida lhe dá, ou ficar preso a um passado que já acabou, e portanto não há mais nada a fazer, ou a um futuro que ainda não veio, e que portanto não lhe permite fazer nada.

Você pode ficar numa boa, desfrutando o máximo de coisas que você é e possui, ou se acabar de tanta ansiedade e desgosto por não ser ou não possuir tudo o que você gostaria.

Você pode engajar-se no mundo, melhorando a si próprio e, por conseqüência, melhorando tudo que está à sua volta, ou esperar que o mundo melhore para que então você possa melhorar.

Você pode continuar escravo da preguiça, ou comprometer-se com você mesmo e tomar atitudes necessárias para concretizar o seu Plano de Vida.

Você pode aprender o que ainda não sabe, ou fingir que já sabe tudo e não precisa aprender nada mais.

Você pode ser feliz com a vida como ela é, ou passar todo o seu tempo se lamentando pelo que ela não é.

A escolha é sua ... E o importante, é que você sempre tem escolha. Pondere bastante ao se decidir, pois é você quem vai carregar sozinho e sempre o peso das escolhas que fizer.

Pondere bastante ao se decidir, pois é você quem vai carregar sozinho e sempre o peso das escolhas que fizer.

Autor: Luis Borges

Cooperação

Cooperação
"Amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Romanos 13:9)"

Era o último dia do programa de acampamento. Após o almoço, deveríamos partir. Sabíamos que aquela viagem seria uma aventura. A estrada sem asfalto nos esperava com muito buraco e lama. Porém, uma lição daquela viagem ficou gravada em minha mente até hoje.

A certa altura da viagem chegamos a um morro íngreme, que tentamos três ou quatro vezes subir e não conseguimos. O carro chegava até a metade do morro, e dali em diante só patinava e não saía do lugar.

Quando estávamos de volta no pé do morro, surgiu um outro carro. Naquele instante eu disse aos colegas: "Vamos descer e ajudá-los para que consigam chegar ao topo do monte. Depois eles nos ajudarão." Assim o fizemos e prosseguimos juntos a viagem, pois caso um grupo precisasse o outro ajudaria.

Cooperação! Como é importante a cooperação no lar para que haja ordem nas roupas, nos móveis, na limpeza geral da casa! Quando só uma pessoa cuida de tudo, não é fácil; mas quando todos cooperam, é uma maravilha! Os pais também podem cooperar com os filhos nos seus estudos; e estes podem cooperar com os pais, assumindo algumas responsabilidades em casa.

Como é triste ver na igreja pessoas de talento e cultura que, por vezes, se recusam a cooperar, negando a aceitação de qualquer responsabilidade. Para que a cooperação seja realmente eficaz, tem que haver compreensão e envolvimento, a fim de que todos usufruam as bênçãos que dela advêm. A base número um da cooperação é: "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos."
Autor desconhecido

Sacola de biscoito

Sacola de Biscoitos

"E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem permanece em amor, permanece em Deus, e Deus nele" (1 João 4:16).

Lewis Grizzard contou sobre uma mulher que costumava parar para tomar café, todas as manhãs, na casa de seu pai, no caminho para o trabalho. Seu pai sempre fazia biscoitos para ela, pois, não desejava que fosse trabalhar com o estômago vazio.

Um dia ela dormiu demais e não teria tempo para parar na casa de seu pai.

Antes de sair de casa ela lhe telefonou dizendo que estava atrasada e não poderia passar em sua casa, mas prometeu que estaria lá no dia seguinte.

Seu pai ficou desapontado.

Quando se dirigia para o trabalho, ela dobrou a esquina próximo à casa dele, viu uma figura que se distinguia em meio ao frio e a chuva.

Era seu pai.

Ele a estava esperando, com uma sacola na mão, porque queria ter certeza de que ela teria seus biscoitos.

Muitas vezes, por vários motivos, deixamos de ir à casa de nosso Pai.

Dormimos demais, estamos cansados, está muito calor, o dia está chuvoso, temos outro compromisso...

Mas o Pai sempre está nos esperando. Ele nos ama, quer nos alimentar bem, deseja que estejamos junto a Ele, tem prazer em nos abraçar e proteger, ficará muito feliz em nos fazer felizes.

Quando deixamos de ir à Sua casa Ele fica desapontado.

Mas jamais nos abandona. No caminho para o trabalho Ele está próximo para nos guardar.

Se o deixamos para um passeio, Ele nos segue para que nada de mal nos aconteça.

Se estamos desanimados, Ele nos consola e estimula. Se a pressa do mundo não nos deixa tempo para estar com Ele, mesmo assim nos espera com uma sacola de biscoitos de bênçãos. Ele é amor e, por amor, tem sempre o melhor para cada um de nós.

Que jamais nos afastemos da presença de nosso Pai.

Ele está sempre nos aguardando. Tem bênçãos maravilhosas para nossa edificação espiritual.

Você tem recebido sua sacola de biscoitos diariamente?

Pr. Paulo Roberto Barbosa (Site Escuro Iluminado)

Autor desconhecido

O diamante arranhado

O DIAMANTE ARRANHADO
Um rei possuía um valioso diamante, um dos mais raros e perfeitos do mundo.

Um dia o diamante caiu de grande altura e um arranhão estragou parte dele.

O rei chamou os melhores peritos para que tentassem corrigir a imperfeição, mas todos concordaram que não poderiam retirar o arranhão sem cortar fora uma boa parte da superfície, assim reduzindo o peso e o valor do diamante.

Finalmente apareceu um artesão, não tão famoso, e garantiu:

- Tenho muito observado o maior artesão de todos e, com ele, muito aprendi. Posso lhe garantir que saberei reparar o diamante sem reduzir seu valor.

Sua confiança era tanta que, convencido, o rei entregou o diamante ao homem.

Depois de alguns dias, o artesão retornou com o diamante ao rei, que ficou surpreso ao descobrir que o feio arranhão tinha desaparecido e em seu lugar fora entalhada uma bela rosa.

O arranhão anterior tinha se tornado o talo de uma rara flor!

O rei, empolgado, falou ao artesão:

- Que belo trabalho, que ótima idéia. Diga-me, quem é este grande artesão que é seu mestre?

E o artesão respondeu:

- Deus, o artesão da vida. Deus está sempre, se permitimos, transformando nossos arranhões em algo de belo.

Autor desconhecido

Se a vida fosse uma estrada...

E Se a Vida fosse uma estrada
Cada um de nós caminha pela vida como se fosse um viajante que percorre uma estrada.

Há os que vêem margens floridas e os que somente enxergam paisagens desertas.

Há os que pisam em macia grama e os que ferem os pés em pedras pontudas e espinhos.

Há os que viajam em companhias amigas, assinaladas por risos e alegria.

E há os que caminham com gente indiferente, egoísta e má.

Há os que caminham sozinhos – inclusive crianças - e os que vão em grandes grupos.

Há os que viajam com pai e mãe. E os que estão apenas com os irmãos. Há quem tenha por companhia marido ou esposa.

Muitos levam filhos. Outros carregam sobrinhos, primos, tios. Alguns andam apenas com os amigos.

Há quem caminhe com os olhos cheios de lágrimas e há os que se vão sorridentes.

Mas, mesmo os que riem, mais adiante poderão chorar. Nessa estrada, nunca se conheceu alguém que a percorresse inteira sem derramar uma lágrima.

Pela estrada dessa nossa vida, muitos caminham com seus próprios pés. Outros são carregados por empregados ou parentes.

Alguns vão em carros de luxo, outros em veículos bem simples. E há os que viajam de bicicleta ou a pé.

Há gente branca, negra, amarela. Mas se olharmos a estrada bem do alto, veremos que não dá para distinguir ninguém: todos são iguais.

Há gente magra e gente gorda. Os magros podem ser assim por elegância e dieta ou porque não têm o que comer. Alguns trazem bolsas cheias de comida. Outros levam pedacinhos de pão amanhecido.

Muitos gostam de repartir o que têm. Outros dão apenas o que lhes sobra. Mas muita gente da estrada nem olha para os viajantes famintos.

Há pessoas que percorrem a estrada sempre vestidas de seda e cobertas de jóias. Outros vestem farrapos e seguem descalços.

Há crianças, velhos, jovens e casais, mas quase todos olham para lugares diferentes.

Uns olham para o próprio umbigo, outros contemplam as estrelas, alguns gostam de espiar os vizinhos para fofocar depois.

Uma boa parte conta o dinheiro que leva e há os que sonham que um dia todos da estrada serão como irmãos.

Entre os sonhadores há os que se dedicam a dar água e pão, abrigo e remédio aos viajantes que precisam.

Há pessoas cultas na estrada e há gente muito tola. Alguns sabem dizer coisas difíceis e outros nem sabem falar direito. Em geral, os sabichões não gostam muito da companhia dos analfabetos.

O que é certo mesmo é que quase ninguém na estrada está satisfeito. A maioria dos viajantes acha que o vizinho é mais bonito ou viaja de forma bem mais confortável.

É que na longa estrada da vida, esquecemos que a estrada terá fim.

E, quando ela acabar, o que teremos?

Carregaremos, sim, a experiência aprendida durante o tempo de estrada e estaremos muito mais sábios, porque todas as outras pessoas que vimos no caminho nos ensinaram algo.

A estrada de nossa existência pode ser bela, simples, rica, tortuosa. Seja como for, ela é o melhor caminho para o nosso aprendizado.

Deus nos ofereceu essa estrada porque nela se encontram as pessoas e situações mais adequadas para nós.

Assim, siga pela estrada ensolarada. Procure ver mais flores. Valorize os companheiros de jornada, reparta as provisões com quem tem fome.

E, sobretudo, não deixe de caminhar feliz, com o coração em festa, agradecido a Deus por ter lhe dado a chance de percorrer esse caminho de sabedoria.
Autor desconhecido

Mesmo assim

Mesmo assim

Vivemos um momento na face da Terra que, por vezes, parece que todos os valores morais estão em baixa.

E você, que está buscando construir suas mais nobres virtudes, em muitos momentos se sente enfraquecido pelo próprio mundo à sua volta.

Quando age com honestidade, comentam que você é tolo, que está remando contra a maré, em vez de fazer o que todo mundo faz. Mas se você quer ser grande perante sua consciência, seja honesto mesmo assim.

Se procura balizar seus atos na justiça, ouve que essa atitude é a de um alienado, vivendo num mundo em que vence sempre o mais forte. No entanto, seja justo mesmo assim.

Se está construindo um lar apoiado nas colunas sólidas da fidelidade, é comum ouvir gargalhadas insanas ou comentários maldosos a respeito do seu comportamento. Seja fiel mesmo assim.

Quando seu coração se compadece, diante dos infelizes de toda sorte, não falta a zombaria daqueles que pensam que cada um deve pensar em si próprio, ignorando os sofrimentos dos irmãos de caminhada. Tenha compaixão mesmo assim.

Se você dedica algumas horas do seu dia, voluntariamente, em favor de alguém, rico ou pobre, que precisa da sua atenção e do seu carinho, percebe as investidas da maldade daqueles que pensam que nos seus atos há uma segunda intenção. Seja fraterno e solidário mesmo assim.

Quando você age com sinceridade, com lealdade, é comum ser taxado de insensato, fugindo do comum em que muitos usam de subterfúgios mesquinhos para conseguir o que desejam. Seja sincero e leal mesmo assim.

Se, diante das circunstâncias do dia-a-dia, você revela sua fé em Deus e em Suas soberanas Leis, e é chamado de piegas ou crédulo, mantenha sua fé mesmo assim.

Se em face de tantos desatinos no campo da sensualidade e na falta de decoro que assola grande parte dos seres, você deseja manter-se íntegro e recatado e é chamado de louco mantenha-se íntegro e recatado mesmo assim.

Quando aqueles que se julgam acima do bem e do mal tentam apagar a chama da esperança que você acalenta no íntimo, afirmando que a esperança é a ilusão da mediocridade, mantenha a esperança mesmo assim.

E, por fim, mesmo que alguém tente roubar a sua coragem de continuar lutando e acreditando em dias melhores, mantenha sua coragem e continue acreditando mesmo assim.

Ao findar sua jornada terrestre, e só então, você poderá contemplar a ficha de avaliação do seu desempenho. Somente você será responsabilizado por seus atos. E tenha a certeza de que todos aqueles que tentaram desviá-lo do caminho reto não estarão lá para lhe dar apoio...

Envie esta mensagem para os seus amigos

* 3 Online
* Inicial
* Mensagens de Otimismo
* Mensagens de Reflexão
* Mensagens em Slides
* Mensagens em Video
* Frases de Esperança
* Frases Persistência
* Frases de Sucesso
* Frases de Incentivo
* Frases de Êxito
* Frases Adversidade
* Frases de Autores
* Frases Românticas
* Frases de Amor
* Frases de Amizade
* Provérbios
* Versiculos Bíblicos
* Mensagens Românticas
* Mensagens de Amizade
* Pr. Edilson Ramos
* Motivação Profissional
* Mural de Recados
* Mural de Frases
* Pensamentos para Orkut
* Otimismo no Orkut
* Blog do Otimismo
* Otimismo em
seu e-mail
* Biblia Grátis
* Otimismo em Quadrinhos
* Megabônus
* Contato
* Adicione ao Favoritos

Desconheço o autor

Biblia x Celular

A Biblia e o Celular
Já imaginou o que aconteceria se tratássemos a nossa Bíblia do jeito que tratamos o nosso celular?

E se sempre carregássemos a nossa Bíblia no bolso ou na bolsa?

E se déssemos umas olhadas nela várias vezes ao dia?

E se voltássemos para apanhá-la quando a esquecemos em casa ou no escritório...?

E se a usássemos para enviar mensagens aos nossos amigos?

E se a tratássemos como se não pudéssemos viver sem ela?

E se a déssemos de presente às crianças?

E se a usássemos quando viajamos?

E se lançássemos mão dela em caso de emergência?

Mais uma coisa:

Ao contrário do celular, a Bíblia não fica sem sinal. Ela “pega' em qualquer lugar. Não é preciso se preocupar com a falta de crédito porque Jesus já pagou a conta e os créditos não têm fim.

E o melhor de tudo: Não cai a ligação e a carga da bateria é para toda a vida.

'Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto'! (Is 55:6)
Autor desconhecido

Depressão

Depressão - Dicas para combater a depressão
As estimativas mostram que um número significativo de pessoas sofre de depressão.

E as vítimas são cada vez mais jovens, afirmam os especialistas.

Sofrer de depressão é muito mais do que se sentir triste por causa de algum problema.

É não encontrar mais prazer em nada, não conseguir tomar decisões, perder a esperança e se tornar descrente de tudo.

“Não haverá um amanhã” é a tônica de muitos depressivos, o que leva 15% deles a se suicidarem.

Enquanto a ciência trabalha para identificar as causas deste terrível mal, os que sofrem de depressão podem fazer algo para fortalecer a própria resistência.

São algumas regras de comportamento que podem funcionar como um escudo contra a depressão.

1ª - tenha pensamentos otimistas. Ninguém nasce pessimista. Pensar de forma negativa é alguma coisa que se aprende e que pode ser esquecida. Por isso, quando alguma coisa sair errada, não se ache incompetente. Pense que é apenas um caso individual, que não deve ser generalizado.

Reconheça também que você não é o único responsável por tudo.

Lembre que tudo passa e amanhã tudo estará melhor, quem sabe, daqui a pouco mude o panorama.

Você já percebeu como a natureza se apresenta chorosa, o céu com nuvens pesadas e escuras, e logo mais o sol brilha forte, o calor chega, as poças de lama secam e tudo está belo outra vez?

Assim também é a vida.

2ª regra – tente relaxar mais – trabalhe, mas programe o seu dia para ter seus momentos de descontração. Não deixe de ler algo positivo, edificante.

Ouça músicas que lhe acalmem o coração e os pensamentos.

Saia para um passeio sem compromisso de ir a lugar algum. Dê uma volta na quadra.

Vá até a praça olhar as crianças brincar.

Deixe o sol lhe acariciar o rosto e o vento lhe desarrumar os cabelos.

Vá para o jardim. Plante uma flor. Pode a roseira. Ajeite os galhos dos arbustos.

Freqüente o teatro, uma boa roda de amigos, a praia e o campo, diversificando sempre, para não criar monotonia.

Afeiçoe-se a um trabalho no bem, auxiliando uma instituição, contribuindo e sentindo-se útil, responsável.

3ª - procure apoio social – quem sofre de depressão , tem a tendência a se fechar e a resolver tudo sozinho.

Por isso, converse com alguém que você confie. Alguém que seja capaz de avaliar seus problemas e ajudar você a resolvê-los.

Pode ser um amigo especial, um irmão de crença, um grupo de auto-ajuda.

Por vezes, o depressivo acha difícil até de pensar em deixar suas quatro paredes.

Entretanto, o esforço vale a pena.

Visite um templo religioso e confie-se a um diálogo fraterno.

Ou, então, procure um profissional especializado para falar, desabafar e receber sugestões para levantar a sua auto-estima.

Não se permita descer ao fundo do poço, nem cair até os últimos degraus da depressão.

Se árvores floridas, pessoas felizes e risos lhe causam inveja e o incomodam, comece a exercitar, desde agora, as regras do escudo contra a depressão.

A vida é preciosa demais para não ser vivida em totalidade.

E vivê-la em totalidade é produzir coisas positivas, sentir-se feliz e fazer os outros felizes.

É contribuir para o bem estar de alguém. É ser responsável por uma criatura, uma planta, um vaso de flor, um animal, uma tarefa qualquer.

Afinal, todo o sentido da vida se resume no amor, pois todos fomos criados pelo amor de Deus.
Desconheço o autor

Um pequeno presente

Um Pequeno Presente
O Rev. Chalfant conta à história de um casal que estava comemorando bodas de ouro.

Alguém perguntou ao marido qual era o segredo do sucesso do seu casamento.

Como as pessoas mais idosas costumam fazer,e o marido respondeu à pergunta com uma história.

Sua esposa, Sarah, foi sua única namorada. Ele cresceu em um orfanato e trabalhou muito para conquistar o que desejava.

Nunca teve tempo para namorar até o dia em que conheceu Sarah.

Antes que o jovem pudesse refletir, Sarah fez com que ele a pedisse em casamento.

Depois das promessas feitas no dia da cerimônia nupcial, o pai de Sarah chamou o noivo de lado e entregou-lhe um pequeno presente dizendo:

- Dentro deste presente está tudo o que você necessita saber para ser feliz no casamento.

Nervoso, o jovem noivo rasgou a fita e o papel para abrir o presente.

Dentro da caixa, havia um grande relógio de ouro. Ele o pegou com cuidado.

Depois de examiná-lo atentamente, ele viu no mostrador uma frase que leria, obrigatoriamente, todas as vezes que quisesse ver as horas....

palavras que continham o segredo de um casamento feliz:

"DIGA ALGUMA COISA BONITA A SARAH."

Extraído do Livro: "Histórias Para O Coração" Morris Chalfant

Trilogia do Sucesso

A Trilogia do Sucesso
Afinal o que é o sucesso?

Todos nós sabemos que é um conceito totalmente subjetivo e que depende da percepção de cada um. Será que para se sentir uma pessoa de sucesso é preciso estar o tempo todo em evidência, com grandes conquistas materiais ou com o corpo perfeito?

Acredito que o conceito de sucesso resume-se na seguinte frase:

- Sucesso é a capacidade de estar feliz consigo mesmo.

Porém é preciso ter em equilíbrio três fatores fundamentais:

Espírito. Acreditar em Deus, independente da crença. Não estou falando de religião, mas sim de religiosidade. Acreditar no “algo a mais”, é uma característica marcante das pessoas que se sentem realizadas.

É por meio da fé que realizamos o que antes nos parecia impossível.

É a fé a força que surge, não se sabe de onde, quando tudo parece perdido. É a fé que alimenta seu coração e mente quando é preciso atravessar os obstáculos da vida. Com certeza quem tem fé vai mais longe.

Amor. Aqui a capacidade de amar como um conceito mais amplo.

A palavra e o ato de amar parece nos assustar, então, que tal compararmos com palavras como solidariedade, amizade, companheirismo, compartilhar, doar, apoiar, ouvir?

Não são pequenos atos “disfarçados” de amor?

Amar ao próximo significa ter um comportamento respeitoso para com o seu semelhante. Sentir-se amado e aceito no meio em que você vive é uma das maiores necessidades do Homem.

Mas, que tal, começar você a ter algumas atitudes que possam tornar realidade as palavras acima no seu dia-a-dia? Por que precisamos sempre esperar que alguém dê o primeiro passo?

Matéria. Acredite, não há nada de errado em ser ambicioso, mas sim, em ser ganancioso. Ambições positivas nos levam a procurar maneiras de conseguirmos o que queremos, de crescer na vida e na carreira.

O sucesso não consiste em ter ou ganhar muito, mas em ter ou ganhar o que o deixa satisfeito e feliz, o que realmente atenda as suas necessidades e da sua família. Afinal, para que mais?

Paulo Araújo

Olhos fixos

OLHOS FIXOS
Um adolescente foi castigado por seus pais várias vezes, porque vivia errando.

Chegou à conclusão de que não conseguiria se corrigir, assim dirigiu-se ao diretor de seu colégio e humildemente perguntou:

Professor, o que devo fazer para não cometer esses erros novamente?

Tenho me esforçado, mas não estou conseguindo!

O mestre então, sabiamente, tomou um copo, encheu-o de água e entregou-o ao jovem, dizendo: filho, ande com esse copo por todo o colégio, entre em todas as salas, suba e desça todas as escadas,entre em todos os cantos e becos, nos jardins,no sótão e volte aqui sem derramar uma só gota dessa água. Impossível, não vou conseguir! Disse o jovem.

Se você quiser vai conseguir sim - disse o mestre.

O jovem saiu, devagar, com os olhos fixos no copo. Subiu e desceu escadas, entrou e saiu das salas, cantos e becos, sótão, jardins, e voltou sem ter derramado a água. O mestre olha-o, bate-lhe nos ombros carinhosamente e lhe diz:

Não viu as garotas que passeavam pelo jardim no horário de aulas?

Não viu seus colegas que estavam bebendo, ou aqueles que estavam fumando?

Não - responde o jovem - eu estava com os olhos fixos no copo.

O mestre sorri, e diz: Se você fixar os olhos em Deus, como fez com o copo, terá a força que tanto precisa para vencer as tentações e não cometerá mais as faltas pelas quais tem sido castigado.

Olhe para Deus, e deixe-o ser o rumo da sua vida! Só Ele pode dar um sentido especial para o seu viver!

Autor desconhecido

Com Cristo no barco

Com Cristo no barco Tudo vai muito bem!
Por acaso você já percebeu que a vida às vezes nos reserva tempestades?

Já se deu conta que a existência humana se dá sobre montes e vales, e que muitas das vezes enfrentamos forças invisíveis que nos tentam fazer desistir de nossos sonhos e ideais?

Infelizmente não são poucas as vezes que titubeamos diante das pressões. Isto porque, o inimigo de nossas almas, tenta semear em nossos corações sementes de incerteza e incredulidade.

Todavia, são em momentos como estes que necessitamos nutrir os nossos corações da convicção de que ainda que não pareça, Cristo continua firme guiando nossos barcos.

Essa afirmação me faz lembrar de uma canção bem antiga ensinada em nossas igrejas:

“Com Cristo no barco tudo vai muito bem, vai muito bem, vai muito bem. Com Cristo no barco tudo vai muito bem e passa o temporal”.

Querido amigo, ao longo dos anos tenho aprendido que o Deus o qual servimos é livre para nos ensinar aquilo que quer e do modo que quiser.

No processo pedagógico de Deus torna-se necessário com que algumas vezes enfrentemos tempestades, até porque são através delas que aprendemos que jamais devemos desistir, antes pelo contrário, devemos depositar aos pés daquele que tudo pode, nossas inqueitações e ansiedades na certeza de que no tempo certo ele promoverá o escape.

Lembre-se portanto de uma coisa: Deus está no controle da sua vida, nada absolutamente nada foge ao seu domínio, ele é Senhor e Soberano sobre tudo e todos.

Não desista, antes pelo contrário, nutra o seu coração de fé na certeza de que aquele que começou a boa obra em sua vida, o fará no final de tudo mais do que vencedor.

Renato vargens